O País – A verdade como notícia

Jornalistas do Grupo SOICO vencem “Prémio Nacional de Jornalismo em Administração Pública”

Os jornalistas do Grupo SOICO, Dário Cossa e Cornélio Mwitu, foram reconhecidos vencedores do “Prémio Nacional de Jornalismo em Administração Pública”, edição 2020, na categoria de televisão, esta segunda-feira, em Maputo

Dário Cossa conquistou o primeiro prémio, com a reportagem sobre o “desvio de livros no Sistema Nacional de Educação”, alocados pelo Governo através do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano.

A matéria retrata o problema do desvio de livros nas escolas públicas para venda no mercado informal ou directamente a alguns país e encarregados de educação. A situação envolve alguns professores, conforma a reportagem exibida pela Stv.

Para o galardoado, a vontade de fazer a reportagem surgiu em casa. “A minha irmã foi ter comigo e pediu-me que comprasse um livro para ela, porque os livros distribuídos na escola não tinham chegado a todos. Fiquei preocupado, indignado e, ao mesmo tempo, decidi fazer esse trabalho”, contou o jornalista.

Segundo Dário Cossa, a reportagem com a qual venceu o prémio deve servir para despertar a consciência da sociedade e dos funcionários afectos à administração pública sobre a necessidade de garantir a igualdade de direitos. Desviar livros de distribuição gratuita no Sistema Nacional de Educação, por exemplo, pode beliscar esse direito.

Ainda na categoria de televisão, Cornélio Mwitu ficou em segundo lugar, com a reportagem televisiva que denuncia a exploração da mão-de-obra na capital moçambicana.

Na reportagem, Cornélio Mwitu expõe o drama de algumas crianças movimentadas da província de Gaza para trabalhar na cidade de Maputo como limpadores de vidros de viaturas nos semáforos de diferentes artérias.

Nessa história, segundo contou o galardoado, “procurámos mostrar a forma como o esquema funciona. Fomos até ao bairro de Chamanculo e lá conversei com um tal de «mister boladas», entre outros”, um homem famoso por ter crianças provenientes de Gaza na sua casa.

O jornalista disse que mais do que conquistar o prémio, a sua vontade é ver mudanças que assegurem que as crianças gozem dos seus direitos na nossa sociedade.

Além de cheque simbólico de 100 mil meticais, Dário Cossa recebeu um diploma de honra, um computador portátil e um troféu. A Cornélio Mwitu coube um cheque de 70 mil meticais e um diploma de honra.

A atribuição de prémios aconteceu no âmbito de celebração do Dia Internacional de Acesso à Informação, assinalado esta segunda-feira.

O “Prémio Nacional de Jornalismo em Administração Pública” – para jornalismo impresso, rádio e televisão – é destinado aos profissionais da comunicação social que reportam as acções com impacto na transformação e modernização da administração pública.

O evento é do Ministério da Administração Estatal e Função Pública, MISA-Moçambique e Sindicato Nacional de Jornalistas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos