O País – A verdade como notícia

Jogadores do Baía de Pemba pedem adiamento de jogos

O Baía de Pemba, único representante de Cabo Delgado no Moçambola 2019, diz que os jogadores não estão em condições de disputar o jogo da primeira jornada da prova, remarcado para esta quarta-feira, em virtude dos jogadores da colectividade estarem afectados psicologicamente pela passagem do ciclone Kenneth

É a primeira grande batata quente da época para a Liga Moçambicana de Futebol. E justamente causada por um desastre natural, nomeadamente o ciclone Kenneth, que está a devastar grande parte das províncias de Nampula e Cabo Delgado, com maior enfoque para esta última província, e com destaque para a cidade capital, Pemba.
O facto é que este ciclone afecta a equipa de futebol do Baía de Pemba, que viu mais da metade dos seus jogadores com casa parcial ou totalmente destruídas, para além das residências dos treinadores e de alguns membros da direcção e seus familiares.

Uma situação que, segundo a direcção do Baía de Pemba, deixou os jogadores afectados psicologicamente e sem condições mínimas de realizar jogos de futebol, nomeadamente, diante do Costa do Sol, referente a primeira jornada do Moçambola 2019.

Aliás, este já havia sido adiado para se disputar esta terça-feira, em Pemba, mas devido ao alagamento do Estádio Municipal de Pemba, local que vai acolher os jogos do Baía de Pemba, a Liga Moçambicana de Futebol remarcou o jogo para quarta-feira, 01 de Maio, feriado nacional, para Maputo, invertendo a ordem do jogo, passando este a ser a favor do Costa do Sol. Mas novos factores surgiram por parte da equipa de Cabo Delgado, que através de uma carta enviada ao organismo que gere o campeonato nacional de futebol, pediu o adiamento do jogo diante do Costa do Sol, para uma data a marcar.

A direcção do Baía de Pemba diz, na carta, que o ciclone deixou uma rasto de desgraça, caracterizado por: “Perda total ou parcial das suas residências (e dos familiares) da equipa técnica, dos jogadores e da direcção; Destruição parcial da vedação do campo que irá acolher os jogos do Moçambola; Alagamento do piso do campo que irá acolher os jogos do Moçambola; Invasão de águas da chuva nos balneários do campo; entre outros”.

Assim, a direcção da colectividade de Cabo Delgado apela à direcção da Liga Moçambicana de Futebol a considerar o estado anímico dos jogadores, que precisam de se recompor e garantir que as suas famílias estejam abrigadas e seguras, um processo que, segundo eles, não deverá levar menos que um dia, tendo em conta que a equipa só teria segunda-feira para a recomposição psicológica e terça-feira para viajar a Maputo para o jogo da quarta. E solicita à direcção liderada por Ananias Couana a “remarcação dos jogos da primeira e terceira jornadas para uma data a acordar entre os clubes; a alteração da ordem da 3ª jornada, isto é, que a referida partida se realize em Songo, diante da União Desportiva local”, refere a carta do Baía de Pemba enviada a LMF.

Como forma de sensibilizar a Liga Moçambicana de Futebol a adiar o referido jogo diante do Costa do Sol, a direcção do Baía de Pemba, saúda, na carta, a decisão de adiar o Moçambola por um mês, para permitir a recomposição das equipas da Beira e Chimoio, cujas infraestruturas e estado emocional dos jogadores foi afectada após a passagem do ciclone Idai e espera que “medida similar com vista a recomposição do Baía de Pemba (fustigada severamente pelos efeitos do ciclone Kenneth), também será tomada, a bem do desporto no geral e do futebol em particular”.

O presidente do Baía de Pemba, Satar Abdul Gani, em conversa telefónica com o “O País”, diz mesmo que os jogadores não estão em condições de disputar o jogo.
O Baía de Pemba se predispõe a se estrear no Moçambola 2019 na segunda jornada, na sua deslocação a Nampula, para defrontar o Desportiva de Nacala, que ainda não pode receber seus adversários no seu campo, da Bela Vista, por estar a receber nova relva sintéctica para jogos de futebol.

LMF atende pedido do Baía de Pemba

Entretanto, a Liga Moçambicana de Futebol decidiu atender o pedido do Baía de Pemba de adiar o jogo diante do Costa do Sol, para uma data a ser marcada pelas duas colectividades e anunciada pelo organismo que gere o Moçambola. A decisão foi tomada depois desta ter a confirmação por parte do Baía de Pemba de que o Costa do Sol, seu adversário da jornada, teria anuído o pedido de adiamento, e cedido ao sofrimento dos jogadores do representante de Cabo Delgado na prova mor do futebol moçambicano.

Assim, o Costa do Sol e o Baía de Pemba só se vão estrear no Moçambola 2019 na segunda jornada, defrontando, respectivamente o Maxaquene, no derby da capital, e o Desportivo de Nacala.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos