O País – A verdade como notícia

Jacob Zuma falha entrega do relatório médico

O Ex-Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, permanece hospitalizado após ter sido submetido a uma cirurgia há dias, devido a uma doença não revelada. Entretanto, ao contrário do que estava estabelecido, os médicos de Zuma não entregaram o relatório médico sobre o seu estado clínico, para aferir se pode ou não ser julgado por alegada corrupção.

Jacob Zuma segue internado numa Unidade Médica Presidencial da Força de Defesa Nacional da África do Sul.

Segundo a News 24, os médicos militares do antigo Presidente deviam ter apresentado, até 20 de Agosto corrente, um relatório sobre o estado clínico do seu paciente, através do qual seria possível determinar se ele estaria ou não em condições para enfrentar um julgamento à alegada corrupção de que é acusado.

Falhado o prazo para entrega do referido relatório clínico, os médicos de Zuma pediram mais uma semana para compilar o documento, o que foi rejeitado pelo Ministério Público.

Mas, o advogado de Zuma, Dali Mpofu, já tinha adiantado, há dias, que o relatório clínico poderia ser apresentado pelo médico de Zuma até 02 de Setembro.

De acordo com a News 24, o documento deverá ser confidencial, pois trará detalhes sobre a saúde de Zuma.

Aliás, o Tribunal Superior de Pietermaritzburg adiantou, recentemente, que o Estado podia nomear um médico independente para examinar Zuma e determinar a sua aptidão física para se sentar no banco dos réus.

O Ex-Presidente está hospitalizado desde 06 de Agosto em curso, numa unidade sanitária fora do Centro Correcional de Estcourt, onde devia estar a cumprir pena de prisão de 15 meses por desobediência à justiça, num outro processo em que é acusado de corrupção e fraude.

Aliás, há dias, o Serviço Militar de Saúde da África do Sul disse ao Tribunal Superior de Pietermaritzburg que a vida do Ex-Presidente corria um risco significativo e que levaria seis meses para tratá-lo.

Na mesma altura, o advogado Dali Mpofu sublinhou que o estado de saúde do seu cliente era um assunto de confidencialidade médica de tal sorte que a defesa e o Estado desconheciam a situação real.

Refira-se que, há mais de uma semana, a justiça sul-africana adiou o julgamento de Zuma para 09 e 10 de Setembro próximo, e está relacionado com um caso de suborno, há 20 anos, entre o Ex-Presidente e o fabricante francês de armamento, Thales.

À data dos factos, Zuma era Vice-Presidente da África do Sul.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos