O País – A verdade como notícia

Já há dois casos suspeitos da variante Omicron no país  

O país detectou, esta terça-feira, dois casos suspeitos de infecção pela variante Omicron, trata-se de um caso da província de Inhambane e outro da Cidade de Maputo.

A existência dos casos foi avançada pelo ministro da Saúde, Armindo Tiago, que explicou que os referidos casos serão confirmados por sequenciamento genético ao longo dos próximos dias.

“Nenhum dos dois tem histórico de ter viajado para fora e, portanto, nos parece, até que se prove o contrário, que são mutações que podem ter ocorrido a nível local, a não ser que eles tenham estado em contacto com alguém”, revelou Tiago.

O ministro referiu ainda um outro aspecto “importante” – um dos casos era assintomático e outro tinha sintomas leves da doença.

Os casos foram detectados a partir da testagem feita a todas as amostras positivas do mês de Novembro, e a descoberta dos casos não surpreende o governante, devido à proximidade com África do Sul, país onde foi descoberta a nova variante.

Apesar desses dois casos suspeitos, Armindo Tiago apelou para serenidade e sublinhou que não há motivos para pânico.

“O nosso país continua a registar uma situação epidemiológica favorável; segundo, não há, actualmente, evidência científica que tenha demonstrado maior potencial de transmissão da variante Ômicron, e mais importante, que esta cause doença mais grave ou que escape à protecção gerada pelas vacinas”, detalhou a fonte.

Armindo Tiago recordou que, mesmo que o país esteja a atravessar um período de baixa transmissão, não se devem ignorar as medidas de prevenção da COVID-19 que são as mesmas para a variante Ômicron.

Neste momento, o Governo garantiu que já se intensificam as acções de comunicação e fiscalização das medidas de prevenção da doença e acelera-se a campanha de vacinação.

Mais ainda, há “intensificação da vigilância em todos os pontos de entrada, incluindo a testagem da COVID-19 nestes pontos, fortalecimento da vigilância genómica do SARS-CoV-2; e preparação do sistema de saúde para uma eventual quarta vaga da pandemia”, disse o ministro da Saúde.

O interlocutor revelou, durante o anúncio dos casos suspeitos da variante Ômicron, que o país já tem capacidade de sequenciamento genético.

“Toda confirmação das análises que estamos a dizer aqui, daqueles dois suspeitos e de outras que porventura possam aparecer, vamos fazer o sequenciamento a nível nacional e poderemos também fazer de outros países de que possam necessitar.”

Até ao momento, foram identificados 213 casos da nova variante em 18 países, mas grande parte dos casos foi detectada na África do Sul, e ainda não se sabe se esta variante é mais transmissível,  se causa doença mais grave ou pode ser prevenida por vacinas

Da análise preliminar feita, constatou-se que muitos casos são assintomáticos ou com sintomatologia ligeira, mas Tiago disse que “há necessidade de se acumularem mais evidências científicas para entendermos o perfil clínico dos casos da COVID-19 causados pela nova estirpe”.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos