O País – A verdade como notícia

Ivone Lichucha afirma que EMATUM exportou atum para três países

A antiga Directora Nacional de Economia Pesqueira disse, esta quinta-feira, durante a audição referente ao julgamento do “caso dívidas ocultas”, que a EMATUM exportou atum para Espanha, Uruguai e China. Durante a audição na Cadeia de Máxima Segurança da Machava, Ivone Lichucha confirmou alguns encontros com António Carlos do Rosário.

Quando em Julho de 2013 se reuniu com António Carlos do Rosário, réu no julgamento do “caso dívidas ocultas”, Ivone Lichuche exercia o cargo de Director Nacional de Economia Pesqueira. No primeiro encontro, o réu quis obter informação sobre a actividade pesqueira, na sequência do que permitiria a criação da empresa EMATUM. À data dos factos funcionária do Ministério das Pescas revelou que António Carlos do Rosário apresentou-se ao encontro que tiveram como empresário que queria criar uma empresa de moçambicanos para moçambicanos. Ivone Lichucha disse que, em 2013, não sabia que Do Rosário era um oficial do Serviço de Informação e Segurança do Estado (SISE).

Na audição do 43º do julgamento que acontece na Cadeia de Máxima Segurança da Machava, na Província de Maputo, a declarante Ivone Lichuche disse que, à data dos factos, que nunca tinha ouvido falar do Projecto de Protecção da Zona Económica Exclusiva. Quanto à actividade pesqueira da EMATUM, a declarante adiantou que o atum pescado foi exportado para países de três continentes (Europa, América e Ásia), designadamente, Espanha, Uruguai China. “São informações estatísticas do sector que emite certificados”, revelou Ivone Lichucha ao tribunal.

Ainda sobre o encontro com António Carlos do Rosário, a declarante Ivone Lichucha contou que visitou alguns estaleiros, em França, em Dezembro de 2013, juntamente com o Director das Operações e que o agora António Carlos do Rosário não deu informações sobre as características das embarcações adquiridas para o funcionamento da empresa EMATUM.

Questionada pela procuradora Ana Sheila Marrengula, a declarante Ivone Lichucha respondeu que não sabia que a empresa não era insustentável porque, quando as embarcações chegaram, já nem fazia parte da empresa pesqueira.

Ivone Lichucha trabalhou na EMATUM como representante do Ministério das Pescas.

Esta quinta-feira, o tribunal ouviu três declarantes: Armando Tchau, Apolinário Panguene e Ivone Lichucha. As sessões do julgamento retomam na manhã desta sexta-feira, com a audição de mais três declarantes.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos