O País – A verdade como notícia

IPAJ regista aumento de casos de violência doméstica durante o Estado de Emergência

O Instituto de Assistência e Patrocínio Jurídico (IPAJ), registou de forma preocupante o aumento de casos de violência doméstica durante o período em que vigorou o Estado de Emergência no país. Os dados referentes aos casos de violência domestica nesse período ainda estão ser sistematizados, segundo fez saber Justino Tonela, Director Geral do IPAJ.

Foram quase cinco meses em que o país observou o Estado de Emergência, nesse período havia recomendação clara para que as pessoas ficassem em casa. Durante a observância do Estado de Emergência houve despedimentos de trabalhadores que muitos foram atendidos pelo IPAJ, que também prestou assistência a mulheres, crianças e homens vítimas de violência doméstica, segundo avançou o Director Geral do IAPJ.

“Relativamente a violência doméstica é uma prioridade, sempre foi uma grande prioridade. Temos atendido vários casos de violência doméstica, são problemas sociais que vão se agravando principalmente por causa do confinamento, das crises que as famílias estão a enfrentar. E nós vamos garantido a defesa principalmente das mulheres e crianças principalmente para que seus direitos são salvaguardados”.

Quanto a situação dos deslocados vítimas do terrorismo em Cabo Delgado a intervenção do IPAJ tem sido até ao momento a nível de sensibilização, palestras e interação com vários seguimentos sociais e políticos para que não ocorram situações violação dos direitos humanos nos centros de acolhimento, segundo a fonte que também destacou que recentemente efectuou uma visita de trabalho a Província de Nampula onde estão acolhidos parte dos deslocados.

“Basicamente fomos trabalhar numa perspectiva preventiva porque podem ocorrer situações de violação dos direitos humanos, principalmente violência doméstica, abuso sexual, e transmitimos juntos a essas comunidades, aos líderes comunitários e autoridades governamentais para que este trabalho seja contínuo, para que situações de violação dos direitos humanos não sejam verificados nos centros de acomodação em Namialo”.

O Instituto de Patrocínio e Assistência Jurídica está presente em 142 Distritos dos 153 existentes no país. E este ano celebra 26 anos da sua criação e para o efeito organizou na Matola uma feira de assistência judiciária onde as comunidades acorreram para tratar bilhetes de identidade, BI, Número de Identificação Tributário, NUIT, entre outros serviços incluindo despistes de varias doenças.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos