O País – A verdade como notícia

Instituições públicas já implementam atendimento por marcação em Maputo

As instituições públicas já estão a fazer atendimento por marcação, conforme a determinação do Presidente da República, Filipe Nyusi, como forma de se evitarem aglomerados e, assim, conter-se a propagação da COVID-19.

Com o processo, as aglomerações para tratar os documentos de identificação diminuíram. Na Direcção de Identificação Civil, localizado na Avenida 24 de Julho, no centro da cidade de Maputo, por exemplo, que antes registava enchentes, estava com menos de 30 utentes na fila de espera.

Segundo o porta-voz Alberto Sumbana, a solução encontrada para evitar enchentes é a distribuição de senhas e alistamento dos utentes. “As senhas distribuídas têm o indicativo da hora em que a pessoa será atendida. Depois de receber a senha, o utente deve retirar-se das nossas instalações e voltar na hora delimitada. Com isso, queremos evitar enchentes”, precisou.

Contudo, Sumbana reconheceu que o sistema ainda não é eficaz, pois há utentes que ainda não entendem a nova forma de trabalho.

“Reduzimos, também, o atendimento de pessoas. Nos distritos, passamos a atender 30 pessoas por dia. O posto da Matola que tem o número elevado de clientes passa atender 50 pessoas por dia e, na sede dos Bombeiros, em que se recebiam 600 pessoas, reduziu o atendimento para 100”, explicou.

Apesar de ter sido estipulado o atendimento de até 30 pessoas, alguns pontos nem recebem 10 utentes, por isso o porta-voz aconselha os requerentes a dirigirem-se a esses pontos para se evitarem aglomerações.

A Direcção de Identificação Civil prevê, para os próximos 20 dias, a implementação de um sistema electrónico de marcação, através do qual o requerente poderá colocar os seus dados e saberá a data e hora do seu atendimento, sendo que haverá, também, o agendamento por chamadas grátis.

O Serviço Nacional de Migração (SENAMI) foi das primeiras instituições a implementar o sistema de atendimento por marcação, sendo que ninguém é atendido sem fazer a marcação do serviço que pretende, segundo detalhou porta-voz Celestino Matsinhe.

Por conta da pandemia, este serviço viu-se, igualmente, obrigado a reduzir os atendimentos diários, na cidade de Maputo. Por exemplo, “antes a meta era de 350 a 400 utentes por dia e agora o número baixou para 250 ou 300”.

Um dos motivos para a redução no atendimento, segundo Matsinhe, foi o facto de ter sido diminuído o número de máquinas e guichés, para se garantir o distanciamento entre os trabalhadores e os utentes.

No SENAMI, a pré-marcação pode ser feita virtual ou presencialmente e abrange, também, cidadãos estrangeiros que queiram renovar os seus vistos.

Desde ontem, todos os vistos caducados deixaram de ser válidos, mas, mesmo assim, a procura pelos serviços para renovação é muito reduzida, pelo que o SENAMI alerta que todos os estrangeiros em situação irregular serão penalizados.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos