O País – A verdade como notícia

Instalado braço de ferro entre a LMF e o Ferroviário da Beira

A Liga Moçambicana de Futebol e o Ferroviário da Beira entraram em rota de colisão em relação ao adiamento e remarcação do jogo que os “locomotivas” de Chiveve deviam ter realizado diante do Desportivo de Nacala, referente à 25ª jornada do Moçambola 2018. A turma da Beira exige explicações para o adiamento do jogo.

É mais um caso no futebol moçambicano, mais concretamente no campeonato nacional, o Moçambola 2018. Desta vez, o caso envolve a Liga Moçambicana de Futebol e o Ferroviário da Beira.

Em causa está o jogo entre o Ferroviário da Beira e o Desportivo de Nacala, inicialmente marcado para o passado sábado, no caldeirão do Chiveve, referente a 25ª jornada.

O facto é que depois da marcação oficial do jogo ao longo da semana passada, no sábado, 15 de Setembro, duas horas antes do início do jogo, a Liga Moçambicana de Futebol emitiu um comunicado a adiar o referido jogo alegadamente por motivos logísticos, e remarcando para uma data ainda a anunciar.

No referido comunicado, a Liga Moçambicana de Futebol não especifica os motivos logísticos que justificaram o adiamento do jogo.

Em resposta, o Ferroviário da Beira emitiu um comunicado na terça-feira, 18 de Setembro, também, pedindo esclarecimentos das razões que ditaram a não realização do jogo. O Ferroviário da Beira refere no seu comunicado, no ponto 2, que “em obediência ao calendário, mobilizou as condições necessárias para o jogo do dia 15 de Setembro, designadamente o estágio da equipa, preparação do campo de jogo, policiamento, bombeiros, publicidade entre outras”, mas que há hora do jogo, o Desportivo de Nacala não estava no campo do Ferroviário da Beira.

Aliás, o Ferroviário da Beira diz que só as 13H56, “fora do horário normal de expediente” é que deu entrada o comunicado da Liga Moçambicana de Futebol adiando o jogo, quando ninguém mais estava nos escritórios.

Em dois pontos do número cinco do seu comunicado, o Ferroviário da Beira exige que a Liga Moçambicana de Futebol “indique as razões de facto e de direito que terão determinado a não realização do jogo” e a “explicitação das razões logísticas, uma vez que não está dito em que consistiram nem a quem respeitam tais razões logísticas e não estão demonstrados os pressupostos regulamentares para a remarcação do jogo”.

O facto é que no mesmo dia 18 de setembro, a Liga Moçambicana de Futebol emitiu outro comunicado, remarcado o jogo entre o Ferroviário da Beira e o Desportivo de Nacala para a quarta-feira do dia 26 de setembro, antes mesmo da resposta aos “locomotivas” de Chiveve. Sabe-se porém que os “canarinhos” de Nacala não se fizeram a Beira no sábado por terem atrasado ao voo que os levaria a capital de Sofala, devido a uma avaria no autocarro que os transportou da sede do clube até ao aeroporto.

Está assim instalado o braço de ferro entre a Liga Moçambicana de Futebol e o Ferroviário da Beira.

Para já, o Ferroviário da Beira ocupa a 14ª posição, a primeira da linha da despromoção, com 26 pontos, menos um que o seu adversário, que soma 27 pontos e está na 12ª posição.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos