O País – A verdade como notícia

Inicia amanhã submissão de candidaturas às intercalares em Nampula

Este processo iniciou no dia 15 deste mês e, até ontem, já se tinham inscrito cinco formações políticas. Trata-se de Renamo, o maior partido de oposição, o Movimento Democrático de Moçambique (MDM), a Frelimo, o Ecologista Movimento Terra e o Partido Humanitário de Moçambique (Pahumo).

“Neste momento, a inscrição é apenas dos partidos políticos, como proponentes, e a partir de quinta-feira inicia o processo de apresentação das candidaturas, que vai prolongar-se até 7 de Dezembro”, esclareceu o coordenador da Comissão de Assuntos Legais e Deontológicos da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Rodrigues Timba, citado pela AIM, a agência estatal.

A mandatária do Pahumo, Joana Raposo, afirmou, segunda-feira, que a candidata deste partido na eleição intercalar e será a cidadã Filomena Mutoropa. “Vamos apresentar como candidata Filomena Mutoropa, que já está a trabalhar em Nampula para vencer esta eleição intercalar e liderar o município”, disse.

Enquanto isso, a recepção das listas dos observadores e jornalistas interessados em acompanhar o escrutínio terminou esta terça-feira.
De acordo com o cronograma aprovado, a apresentação das candidaturas a presidente do município será de 23 de Novembro a 7 de Dezembro.

Outros passos do cronograma referem-se à formação de agentes para educação cívica, que será de 13 de Dezembro a 6 de Janeiro de 2018; formação de membros de mesas de voto (MMV), de 13 a 22 de Janeiro de 2018; e a campanha eleitoral, de 9 a 21 de Janeiro de 2018.

A AIM soube em Nampula que a Associação Moçambicana para a Protecção, Promoção e Cidadania quer apresentar um candidato a presidente do município, enquanto a Solidariedade Moçambique, uma organização nacional não-governamental, está interessada em inscrever 72 dos seus membros como observadores.

A eleição intercalar na cidade de Nampula realiza-se após a declaração de incapacidade permanente do então edil, Mahamudo Amurane, do MDM, assassinado no dia 4 de Outubro.

Na sequência da morte de Amurane, o cargo de edil de Nampula foi assumido interinamente pelo presidente da Assembleia Municipal, Manuel Tocova, também membro do mesmo partido. Entretanto, o seu mandato foi marcado por sucessivas polémicas, incluindo a sua detenção por porte ilegal de arma de fogo, situação que o levou a renunciar ao cargo de presidente da Assembleia Municipal. Neste momento, Américo da Costa Iemenle, membro do MDM eleito primeiro vice-presidente da Assembleia Municipal, foi promovido a presidente do órgão e a presidente interino do Conselho Municipal de Nampula.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos