O País – A verdade como notícia

Inhambane passa a processar mil toneladas de carne por ano

Foto: O País

Com uma população bovina estimada em mais de 350 mil cabeças, Inhambane processa cerca de 750 toneladas de carne por ano. Por falta de unidades industriais para o efeito, boa parte da carne de Inhambane é levada para Maputo e Beira.

Com a entrada em funcionamento esta sexta-feira de um matadouro industrial no distrito de Panda, a “terra de boa gente” passará a processar mais de mil toneladas de carne. A unidade industrial tem uma capacidade instalada para abater e processar 50 animais por dia e, por mês, serão processadas 250 toneladas de carne.

A carne será para o consumo local, mas, num futuro breve, passará a exportar para o mercado asiático, nomeadamente Vietname e China.

A unidade vai comprar carne dos criadores locais, mas projecta criar os próprios animais. Ao lado da unidade de processamento, tem um espaço de 800 hectares, que será dedicado à criação de animais para o processamento no matadouro e abastecimento no mercado nacional e internacional.

Com um investimento global de mais de quatro milhões de dólares americanos, o Matadouro de Panda é um dos maiores instalados no país.

Segundo o ministro da Agricultura, Celso Correia, em todo o país existem matadouros industriais nas cidades de Maputo e Beira, sendo o de Inhambane o segundo maior.

Além disso, Correia disse que existe uma unidade industrial na província de Gaza que está paralisada e outra em construção na província de Tete.

Celso Correia revelou ainda que, com a entrada em funcionamento do matadouro de Inhambane, bem como de outros em projecção, num intervalo de dois anos, Inhambane pode tornar-se auto-suficiente na produção de carne. “Teremos carne para o consumo local, sem precisar de mandar vir de fora. Pode comprar fora quem quiser, mas não haverá mais necessidade disso”, acrescentou o governante.

Através do programa “SUSTENTA”, o Governo está a investir no melhoramento genético dos animais criados no país, com a aquisição de mil touros, que deverão ser inseridos na criação animal para o melhoramento.

Além disso, o “SUSTENTA” vai, através de um crédito, financiar o Matadouro de Panda para a compra e posterior processamento de toda carne do sector familiar em todos os distritos.

Ainda no distrito de Panda, Celso Correia procedeu à entrega de equipamentos a agricultores de Inhambane e reuniu-se com os cerca de 150 extensionistas recentemente contratados, que deverão apoiar os diversos agricultores familiares em toda a província.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos