O País – A verdade como notícia

INGD ainda sem dinheiro suficiente para época chuvosa e ciclónica

Foto: O País

Do défice de 7.3 mil milhões de meticais no orçamento do Plano de Contingência, a instituição só conseguiu, nos últimos três meses, 900 milhões de meticais, fruto de doações em espécie.

O Plano de Contingência para Época Chuvosa e Ciclónica 2021-2022 foi lançado em Outubro do ano passado com um défice orçamental de 7.3 mil milhões de meticais, dos 10.6 mil milhões necessários para prestar assistência a um total de 1.5 milhões de moçambicanos que, de acordo com as autoridades poderão, até Março do presente ano, ser afectados por inundações e/ou ciclones.

Volvidos cerca de 90 dias, o Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD) conseguiu apenas 900 milhões de meticais, diga-se muito longe do necessário. “Ainda continuamos com promessas de alguns parceiros e vamos tomando nota desses apoios, mas garantimos que até o momento, desses 7.3 mil milhões de meticais conseguimos reduzir para cerca de 6.4 mil milhões de meticais, valorando aquilo que são os apoios que nós conseguimos angariar até ao momento”, avançou ao jornal O País, o porta-voz da instituição, Paulo Tomás.

E os apoios conseguidos, até ao momento, são doações de bens alimentares e não alimentares. “Estamos a falar de cerca de 8.400 toneladas de bens alimentares diversos, isto também, valorando reduz aquilo que é o orçamento que já havia sido disponibilizado pelo Governo, parceiros e todo o esforço realizado até ao momento. Também foram mobilizadas cerca de 21.900 unidades de bens não alimentares que ajudam a reduzir este défice que estava previsto no Plano de Contingência”, detalhou.

Apesar do défice, o INGD diz que com os 3.3 mil milhões disponíveis tem estado a conseguir responder às situações que até agora demandaram a sua intervenção. “Estamos a falar das províncias de Niassa, Zambézia, Nampula e, no presente momento, estamos a ter situações na província de Maputo, onde o INGD, através da UNAPROC, Unidade Nacional de Protecção Civil está a garantir a transitabilidade de bens e pessoas na zona de Mazambanine e também ainda esta terça-feira foram alocadas duas embarcações em Manhiça e também duas embarcações em Magude para as mesmas operações”, terminou.

O país atravessa agora a segunda fase da época chuvosa e ciclónica, caracterizada por eventos naturais extremos. Contudo, apesar do défice orçamental, o representante do INGD dá garantias de que caso venham a acontecer situações extremas poderá vir a mudar a velocidade com a qual os apoios ao Plano de Contingência são desembolsados. Os 3.3 mil milhões de meticais actualmente existente foram financiados pelo Governo, através do Fundo de Gestão de Calamidades.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos