O País – A verdade como notícia

Incêndio e vendaval matam e desalojam na Zambézia

Uma criança morreu e pelo menos 100 pessoas encontram-se ao relento devido ao incêndio, agravado pelo vendaval, no distrito de Mocuba, província da Zambézia. Vinte habitações construídas com base em material precário foram reduzidas a cinzas em diferentes postos administrativos

O incêndio foi originado por queimadas descontroladas, na última semana do mês de Outubro, segundo testemunhas.

Segundo apurou “O País”, no posto administrativo de Namanjavira, o fogo destruiu sete casas e um celeiro de milho, aumentando ainda mais a pobreza das famílias. Muitas delas estão ao relento, sem alimentos e privados de outros bens essenciais à sobrevivência.

Os estragos aconteceram “de repente”, por volta das 13h00 de sexta-feira passada, e não houve tempo para salvar alguma coisa. “O fogo foi intenso”, disse Esteves Adérito, uma das vítimas.

Quem também está em situação difícil é Regina Sentinela. “Eu não sei como tudo ocorreu mas o certo é que perdi tudo e estamos a viver sem condições de miséria”, disse a senhora com o seu bebé ao colo.

No posto administrativo de Mugeba, oito casas foram destruídas, das quais cinco por fogo que partiu de um curto-circuito, duas por queimadas descontroladas e uma por vendaval. Neste último fenómeno, uma criança perdeu a vida ao ser atingida por uma árvore.

Na cidade de Mocuba, duas casas foram transformadas em escombros, também por vendaval, e outras três na localidade de Munhiba.

Os eventos agravaram a pobreza das famílias. “Quer o fogo, quer o vendaval fizeram destruições. As queimadas descontroladas continuam a preocupar e o que vimos desta vez é que precisamos de tomar alguma dianteira no cuidado com o fogo”, disse Arlindo Isaías, delegado do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) do distrito de Mocuba.

Face aos estragos, Pio Matos, membro da Frelimo, e eleito governador da Zambézia, nas eleições de 15 de Outubro, prestou solidariedade às famílias assoladas. Ofereceu diversos produtos, dos quais alimentares e dinheiro. “O que aconteceu” com aquela gente “também pode acontecer com cada um de nós”, disse Matos.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos