O País – A verdade como notícia

Inaugurado pavilhão misto de processamento de alimentos e canalização em Quelimane

Foto: O País

O empreendimento inaugurado pelo secretário da Juventude e Emprego, Oswaldo Petersburgo, está avaliado em 12 milhões de dólares, fundos disponibilizados pelo Governo japonês, através da Agência de Cooperação Internacional do Japão. Espera-se que jovens sejam formados e façam renascer os seus sonhos para o desenvolvimento da província da Zambézia.

O pavilhão misto de processamento de alimentos e canalização ora inaugurado em Quelimane, província da Zambézia, pertence ao Instituto de Formação Profissional Alberto Cassimo (IFPLAC). O empreendimento foi construído e apetrechado com equipamentos de ponta para processar grãos, cereais, frutos e hortaliças.

O pavilhão tem uma capacidade para formação, nas áreas de processamento alimentar e canalização, de 200 pessoas por ano, incrementando, assim, a capacidade de centro de formação profissional de Quelimane de 1500 para 1700 anualmente.

Chiaki Kabayashi, representante da JICA, referiu que Zambézia é um celeiro de produção de comida, por isso se espera que o empreendimento ora inaugurado venha agregar valor na dinamização de criação de emprego para a juventude.

“Os investimentos que aplicamos nesta infra-estrutura, desde a construção e apetrechamento com material de ponta, são doze milhões de dólares. Mas, o fundamental é ver jovens a realizarem os seus sonhos, através da formação que aqui terão. Por isso, o nosso apelo é que cuidem bem das instalações e equipamentos instalados”, disse o representante da JICA.

Hajime Kimura, embaixador do Japão em Moçambique, presente na cerimónia, também defendeu a melhor utilização do empreendimento, para fazer valer os investimentos do povo japonês junto do Governo de Moçambique. Kimura assegurou que o Japão tudo continuará a fazer para apoiar o povo moçambicano nas diversas áreas. “É interesse do nosso Governo no Japão continuar a apoiar o nosso povo irmão de Moçambique. Esta infra-estrutura deve produzir resultados satisfatórios para o bem da criação de emprego para a juventude”, precisou.

O secretário da Juventude e Emprego (SEJE), Oswaldo Petersburgo, desafiou, na ocasião, o Instituto Alberto Cassimo no sentido de responder à demanda do mercado, em função dos investimentos aplicados para instalação do pavilhão misto de processamento de alimentos e canalização.

“Com este pavilhão equipado com equipamentos modernos nas diversas áreas, a demanda de formação profissional para o mercado sai de 1500 para 1700 formandos por ano. Este pavilhão está preparado para formar para o mercado de trabalho, seja por conta própria, seja por conta de outrem, canalizadores profissionais, operadores de grãos de cereais, bem como electricistas e carpinteiros profissionais”, disse o governante.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos