O País – A verdade como notícia

INAE encerra 17 escolas por incumprimento das medidas contra COVID-19 

Dezassete escolas primárias e secundárias enceraram as portas, este mês, por ordem da Inspecção Nacional das Actividades Económicas (INAE), devido ao incumprimento das medidas de prevenção e combate ao novo Coronavírus.

De acordo com Tomás Timba, porta-voz da INAE, das irregularidades verificadas no período em alusão, constatou-se a falta de recursos humanos em quantidade e qualidade para responder aos desafios impostos pela pandemia.

A fonte disse ainda que nos 17 estabelecimentos de ensino fiscalizados, havia falta limpeza, termómetros para medição da temperatura dos alunos e utentes, inexistência de cartazes com informações sobre COVID-19, bem como ausência de plano de gestão de entrada e saída de alunos em turnos.

Segundo o porta-voz da INAE, no mesmo período também foram inspecionados 216 estabelecimentos comerciais, dos quais sete empreendimentos turísticos, 16 de restauração e venda de bebidas, 63 bancas e barracas e 10 estabelecimentos de prestação de serviços.

Das 216 instituições, 17 foram notificadas por causa da constatação de irregularidades. A título de exemplo, na província de Nampula, a INAE destruiu 250 caixas de fígado de frango com prazo vencido para o consumo humano.

Na Zambézia três máquinas de jogos de fortuna e azar foram apreendidas por instalação ilegal, enquanto na província de Maputo houve apreensão de 15 caixas de pedaços de frangos, por terem sido contrabandeados.

Ainda na província de Maputo, as autoridades fiscalizaram sete restaurantes e três bottle stores devido à superlotação, funcionamento fora do horário estabelecido, transformação de restaurantes em discotecas, falta de condições higiénicas para a realização de eventos, poluição sonora e inobservância das medidas contra a COVID-19.

Para fazer face ao período da quadra festiva, a partir do dia 15 de Dezembro, a INAE vai realizar uma campanha no sentido de assegurar a observância das medidas preventivas do novo Coronavírus e evitar a especulação de preços.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos