O País – A verdade como notícia

Importância do scouting nos resultados desportivos

O tema: “Do observar ao jogar: a importância do scouting nos resultados desportivos” foi o terceiro do dia e tinha a particularidade de ter um painel composto por treinadores de futebol, nomeadamente Abel Xavier, seleccionador nacional,  e Nélson Santos, técnico do Costa do Sol.

Ir ao treino e não ir treinar

Essencialmente foi caracterizado por apresentações, primeiro do técnico “canarinho”, Nélson Santos, que começou por dizer que é preciso haver respeito pelo trabalho dos treinadores de futebol, uma vez que os adeptos, sócios, dirigentes e todos os outros apenas conhecem as equipas no dia do jogo. Mas ressalvou que há um trabalho que tem sido feito durante a semana, para que durante o jogo as técnicas que foram apreendidas durante a semana se reflitam em campo, com vitórias. Na sua locução, Santos diz que quando se contrata jogadores para uma determinada época, é preciso que se definam metas, através do carácter, atitude e profissionalismo dos mesmos, para que os objectivos sejam conhecidos por todos e todos estejam engajados no mesmo objectivo.

Para Nélson Santos é preciso preparar os jogadores, olhar para os recursos materiais e humanos e outros elementos dos bastidores/balneários, para que se tenha sucesso futuro. É preciso que os jogadores saibam diferenciar “ir ao treino” e “ir treinar”, pois “ir ao treino” significa saber cumprir com as regras e exigências que são definidas pela direcção e equipa técnica, enquanto “ir treinar” é só ir jogar a bola a preparar o jogo seguinte. E é do treino onde se aprende a errar e do erro se aprende a ganhar, sabendo perder para saber ganhar.

O técnico dos actuais segundos classificados do Moçambola Zap diz que um treinador deve marcar um rumo, motivar e inspirar os jogadores, devendo ter uma ideia no treino e coloca-la em prática, para que no jogo a ideia seja implementada e dê resultados desejados. A observação é o principal passo que é usado pelos treinadores para preparar o jogo seguinte, daí a importância do treinador ser um bom observador, identificando os erros e procurar soluções para os erros cometidos.

Importância do plano de acção

Já o seleccionador nacional, Abel Xavier, também chamado a fazer a sua apresentação sobre o tema, começou por dizer que o mais importante é refazer as bases da formação, fazendo um desenvolvimento do futebol de baixo para cima e não do modo contrário, como forma  de obter resultados na base, para que no topo (seniores) também hajam resultados. Para que isso seja possível, é preciso haver um plano de acção, com objectivos competitivos e específicos, que se circunscrevem na obtenção de bons resultados e na preparação dos jogos de modo a atingir os objectivos definidos.

Para atingir objectivos competitivos é necessário refazer a estratégia de trabalhos e reformular a agenda em função das paragens que o campeonato nacional tem ao longo da época, aumentando o leque de jogadores a comporem a selecção nacional e o quadro competitivo de jogos, entre amigáveis e oficiais. Mas também é preciso criar regras internas e trazer um novo modelo de jogo que leva a uma qualidade invejável, com abordagens definidas e válidas.

Abel Xavier considera que o mapeamento do país, a análise de dados, a descoberta de talentos, o aumento da base de dados, o crescimento do nível de perfomance da selecção nacional são algumas das estratégias usadas para elevar o grau de interesse de uma selecção e argumentos suficientes que fazem com que muitas selecções queiram jogar com os Mambas.

Desafios futuros

Mas deixou algumas recomendações à Federação Moçambicana de Futebol, no sentido de ter uma base de dados que permite saber quem são os jogadores internacionalizados e a internacionalizar, para além de sugerir mais apoios e reestruturação às academias de formação, que são celeiros de jogadores. E não só: fazer um acompanhamento aos resultados dos jogadores que saem dos jogos escolares, como forma de potenciar as selecções nacionais de sub-17 e sub-20, o que vai criar um dinamismo dos jogadores dentro dos clubes, para que cheguem a selecção principal, é outro desafio.

O seleccionador nacional defende que a metodologia de preparação dos jogadores da selecção nacional deve iniciar nos escalões de formação, como forma de acrescentar valor ao conjunto nacional.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos