O País – A verdade como notícia

ICM e Gapi mobilizaram cerca de 10 milhões de meticais para a comercialização agrícola

O Instituto de Cereais de Moçambique (ICM) e a Gapi reforçaram, esta semana, com mais 36 milhões de meticais a capacidade da Linha de Crédito para a Comercialização Agrícola, elevando para cerca de 310 milhões de meticais a disponibilização deste instrumento destinado a financiar a aquisição e revenda dos excedentes de produção agrícola.

Desde o seu lançamento em Abril de 2019, a Linha de Crédito para a Comercialização Agrícola (LCCA), com apenas 1.5% de incumprimento, já abrangeu cerca de 150 mil famílias camponesas em todo o país, refere a “Carta de Moçambique”.

“O reforço desta linha visa fortalecer a capacidade dos comerciantes em adquirirem os excedentes de produção da nossa população camponesa”, disse Mohamed Valá, director-geral do ICM, citado pela “Carta”, acrescentando que “considerando a crescente demanda, estamos cientes de que o valor ainda não cobre as necessidades, mas continuamos a desenvolver esforços no sentido de mobilizar mais recursos para o reforço desta linha, que já impacta a vida no meio rural, sobretudo na renda das famílias produtoras”.

Segundo a mesma fonte, Valá saudou o apoio do Ministério da Indústria e Comércio (MIC) e a parceria com a Gapi, realçando que “a disponibilização de serviços financeiros no meio rural, priorizando os nossos potenciais beneficiários, que são os intervenientes da comercialização agrícola, vai alavancar a inclusão económica e financeira e, consequentemente, melhorar a vida da nossa população rural”.

Por seu turno, o presidente da Comissão Executiva da Gapi, Adolfo Muholove, disse que, neste recente reforço da LCCA, a instituição contribuiu com MZN 31 milhões e o objectivo principal continua a ser o de garantir a disponibilidade de fundos para que os comerciantes reforcem a sua capacidade técnica e financeira para dinamizarem a comercialização agrícola, de modo não só a beneficiar as famílias, mas também para alimentar a indústria agro-alimentar. Outro grande impacto desta linha é a sua contribuição para o desenvolvimento da cadeia de valor agrícola, com realce para o aumento da produção e melhoria da segurança alimentar.

As duas instituições, desde o início da LCCA, associaram o financiamento às actividades de capacitação dos intervenientes para que melhorem as suas habilidades de gestão. Nos programas de capacitação dos comerciantes, o tema central é o de que “crédito é responsabilidade e tem de ser reembolsado”.

Finalizando, a “Carta” avança que, desde o seu lançamento, a LCCA financiou, até Junho do presente ano, a comercialização de cerca de 75.000 toneladas de produtos diversos, com destaque para milho, feijões, gergelim e soja, em todo o país, priorizando as províncias de Cabo Delgado, Niassa, Tete e Manica.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos