O País – A verdade como notícia

Hospital Geral da Machava recebe viseiras e túnel de desinfecção para prevenção da COVID-19

Pacientes com tuberculose podem estar mais susceptíveis a contrair o novo Coronavírus e apresentar sintomas graves. O alerta é da Directora do hospital Geral da Machava, onde estão a ser tomadas medidas para prevenir a doença. Por sua vez, a Secretária do Estado na província de Maputo, Vitória Diogo desafia a população a cumprir rigorosamente as recomendações do sector de saúde.

A tuberculose é um dos problemas de saúde pública mais preocupantes no país e no mundo. E por causa do novo Coronavírus há que redobrar esforços e atenção as pessoas que têm a doença. É nesse sentido que o hospital Geral da Machava, que tem o seu foco virado ao rastreio e tratamento da TB diz estar a tomar medidas para controlar a sua propagação.

“Em relação a prevenção da COVID-19, por acaso as mesmas normas usadas para prevenir o novo Coronavírus são as mesmas usadas para a prevenção da tuberculose. Se a pessoas já tem a tuberculose, o que deve fazer é continuar a respeitar as medidas anunciadas pelas autoridades de saúde. Uso correcto da máscara, lavar as mãos, higiene colectiva, individual para que não possa contrair outras doenças”, disse Rosita Mapsanganha, Directora do Hospital Geral da Machava

E é no âmbito do reforço dessas medidas de prevenção, que o empresário Salimo Abdula ofereceu esta terça-feira, um túnel de desinfecção e viseiras a aquela unidade sanitária.

“Este é um momento particular, sensível que todos vivemos, é um grito de socorro, e como humanos devemos fazer a nossa parte para contribuir na prevenção da pandemia. Por isso é que hoje viemos aqui a pedido da S. Excia Secretaria do Estado Vitoria Diogo, oferecer viseiras e túnel de desinfeção para que os profissionais de saúde possam trabalhar com maior segurança e todos que entrarem aqui tenham a higiene necessária para sua segurança”, declarou o empresário

O acto foi testemunhado pela Secretária do Estado da província que falou dos planos de prevenção e controlo da pandemia, numa altura em que já houve registo de seis casos, dos quais cinco recuperados e um activo.

“Muitos estão a andar nas ruas sem necessidade, a palavra de ordem é vamos ficar em casa, só sai em caso de necessidade extrema. Temos muitas viaturas a circular, congestionamento, como é possível numa situação em que o número dos infectados está a aumentar, e sabemos que se um está infectado e não toma cuidados, facilmente pode infectar o outrio”, concluiu Vitoria Diogo

No primeiro trimestre deste ano, o hospital geral da Machava registou uma ligeira descida de casos de tuberculose. 560 pessoas deram entrada na unidade sanitária contra os 700 casos registados no igual período do ano passado.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos