O País – A verdade como notícia

Horácio Gonçalves já não é seleccionador dos Mambas

Foto: O País

Horácio Gonçalves já não é seleccionador nacional do Mambas. A ligação entre a Federação Moçambicana de Futebol e o técnico português acontece após o descalabro do combinado nacional contra os Camarões, na etapa de qualificação ao Mundial Qatar 2022, competição na qual Moçambique já não tem hipótese de se apurar para a segunda fase.

O enlace durou apenas seis meses. Apresentado em Abril último como novo timoneiro dos Mambas, em substituição de Luís Gonçalves, o técnico português, Horácio Gonçalves chegava aos Mambas hasteando a bandeira da mudança. A vontade era tanta, mas no terreno a realidade foi tão diferente, que os resultados não apareciam.

O jornal “O País” contactou a FMF para confirmar a informação, mas sem sucesso. Todavia, uma fonte próxima ao organismo que superintende o futebol moçambicano confirmou o afastamento do técnico português, sem, no entanto, avançar as razões por detrás da decisão. A mesma fonte garantiu que a FMF irá, nos próximos dias, comunicar formalmente sobre o afastamento do técnico português.

Horácio Gonçalves, que se encontra em Portugal, foi comunicado sobre o seu afastamento após uma reunião virtual através da plataforma Zoom, na qual tomou parte o presidente da FMF, Feizal Sidat, e outras entidades desportivas nacionais.

Os últimos desaires na etapa de qualificação ao Mundial Qatar 2022, diante dos Camarões, aliado à ausência de algumas figuras de peso nas últimas convocatórias dos Mambas, com destaque para Dominguez, Mexer e Zainadine Júnior, poderão ter precipitado o fim do vínculo contratual de Horácio Gonçalves.  A ausência desses jogadores na selecção criou um ambiente nebuloso no balneário.

Aliás, as escolhas do treinador levantaram muitos debates nalguns círculos de opinião, com a maioria a defender que o técnico português estava a matar a história em nome da renovação. No seu consulado, o técnico português abdicou de alguns jogadores experientes, apostando em atletas que ainda estão à procura de um lugar ao sol no combinado nacional.

Sabe-se que para o lugar do técnico português se cogita a possibilidade de a FMF avançar com treinador moçambicano, Chiquinho Conde, que se encontra em Portugal. O ex-capitão dos Mambas sempre foi desejado pelos moçambicanos, que defendem que é preciso apostar-se num treinador nacional.

Horácio Gonçalves, que havia assinado um contrato de dois anos, é o segundo treinador afastado pelo elenco presidido por Feizal Sidat, após em Março último ter rescindido com Luís Gonçalves, uma decisão tomada na sequência da não qualificação dos Mambas para o CAN-2021.

O contrato de Horácio Gonçalves e a FMF previa que qualquer uma das partes poderia romper a relação, em caso de não estar satisfeita com o rumo dos acontecimentos. Nesse sentido, não há espaço para qualquer indemnização. Para além do processo da renovação dos Mambas, Horácio Gonçalves tinha como objectivo qualificar a selecção nacional de Moçambique para o CAN-202.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos