O País – A verdade como notícia

Horácio Gonçalves chama “estreantes” e “desconhecidos” aos Mambas

O seleccionador nacional de futebol, Horácio Gonçalves, convocou 25 jogadores que vão representar os Mambas no torneio triangular que terá lugar em Junho próximo, no Estádio Nacional do Zimpeto. Lesotho e eSwathini serão os adversários dos Mambas na preparação ao torneio Cosafa.

Foi a primeira convocatória de Horácio Gonçalves na qualidade de seleccionador nacional de futebol. O português chamou 25 atletas da selecção olímpica, com destaque para os campeões regionais da Cosafa, em sub-20, nomeadamente Kimiss Zavala, Fidel e Martinho, todos da Black Bulls, para além de cinco jogadores que actuam em clubes portugueses, casos de Geny Catamo, do Sporting Clube de Portugal, Maestro, do Vit’oria de Guimarães, Bruno Langa, do Amora FC e os maritimistas Bonera e Neymar Canhemba.

 

DAR RODAGEM À SELECÇÃO OLÍMPICA QUE VAI A COSAFA

Horácio Gonçalves pretende dar rodagem e entrosamento à selecção olímpica que vai representar o país no torneio regional da Cosafa, que terá lugar em Julho, na vizinha África do Sul. Aliás, o seleccionador nacional pretende que esta selecçao possa começar a representar o país, tendo em conta que se trata de uma selecção olímpica e que se quer que venha disputar a próxima qualificação aos Jogos Olímpicos de 2024.

“A nossa intenção é colocar os jovens jogadores e talentosos numa posição que lhes permita conquistar um lugar na selecção AA. São jovens atletas e todos estão no activo e foi dentro desta perspectiva que nós tentamos criar esta selecção olímpica que participa no torneio Cosafa, sem que seja todo este grupo, pois poderá oscilar um ou outro jogador, mediante as observações que vamos fazendo, mas a intenção é uma e clara: vamos dar competição aos jovens”, disse Horácio Gonçalves na conferência de imprensa de anúncio dos convocados.

O seleccionador nacional considera que os jovens jogadores moçambicanos têm talento e não será a equipa técnica a cortar-lhes as pernas. “Durante estes anos todos, houve muitas situações desta natureza e nós queremos quebrar isso”, sentenciou Horácio Gonçalves.

Sobre os jogadores que actuam fora de portas, nomeadamente em Portugal, Horácio Gonçalves espera que sejam dispensados para representar a selecção nacional neste triangular, tendo em conta que se enquadra dentro da data-FIFA, até porque “estão dentro da idade de fazerem parte desta selecção olímpica e será bom para eles poderem participar”, mas em relação ao torneio Cosafa, não sendo uma data-FIFA, espera que haja bom senso por parte de todos os clubes.

 

TRIANGULAR PARA PREPARAR COSAFA E PROJECTAR JOGADORES DO FUTURO

Relativamente a esta possibilidade de disputar dois jogos amigáveis no Estádio Nacional do Zimpeto através do torneio triangular que vai integrar, ainda, o Lesotho e eSwathini, Horácio Gonçalves mostra-se feliz, já que espera tirar proveito disso.

“Quero que os jogadores, que são jovens e que estão naquele vazio de falta de competição tirem algo deste torneio, pois esta é uma oportunidade para eles se interligarem. Estes dois jogos, que vamos realizar, que serão de preparação para o Cosafa, são óptimos, porque vão interligar atletas que muitos deles nunca se encontraram na mesma equipa e outros que, provavelmente, se encontraram nas selecções de formação há dois ou três anos e que podem voltar a encontrar-se”, disse o seleccionador nacional.

No entanto, mais do que criar interligação e entrosamento entre os jogadores, esta é uma oportunidade que os jogadores têm de se lançar, por forma a tentar um lugar na selecção principal, os Mambas. Gonçalves não teme em assumir que “este torneio vai-nos servir para observação desses atletas, não só nestes dois jogos, mas também no Cosafa, porque eles vão querer conquistar a camisola da selecção AA”.

O seleccionador nacional assume, ainda, o desejo de ter mais jovens na selecção, mas reconhece que não é possível, porque “há muitos que não treinam, nem aqueles que estiveram na selecção sub-290 e os que foram integrados nos clubes ainda não começaram a jogar e não temos nenhum dado sobre eles e este espaço vai dar-lhes oportunidade para aparecerem”.

O técnico português reconhece as qualidades dos jogadores moçambicanos e, por isso, quer criar esta oportunidade para que façam a transição para a equipa principal. “Temos que ter certeza de que o jovem jogador moçambicano é talentoso e precisa de ter espaço e não podemos ser nós a cortar a formação do atleta. Temos que acreditar na formação do atleta e, nesta selecção olímpica, também compreende isso, que é o trampolim para o jogador chegar à selecção principal. Por isso, vamos participar pela primeira vez com uma selecção olímpica no Cosafa, porque é de todo interesse para o futuro do futebol moçambicano”, disse o seleccionador nacional.

O triangular, que terá lugar no Estádio Nacional do Zimpeto, arranca a 2 de Junho com os Mambas a defrontarem o Lesotho, seguindo-se o embate entre Lesotho e eSwathini, no dia 05, terminando com os Mambas a jogarem com eSwathini, a 8 de Junho.

Os Mambas iniciam o seu estágio para este triangular no dia 30 deste mês, na Casa Militar, já revisto pela Federação Moçambicana de Futebol para avaliar as condições actuais para o alojamento do combinado nacional. Já as selecções visitantes, nomeadamente Lesotho e eSwathini, chegam ao país entre sexta-feira e domingo, segundo o vice-presidente para as selecções nacionais, Martinho Mucuane, também conhecido como Paíto.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos