O País – A verdade como notícia

Hora de deixar Malawi em “chamas”

Fotos: FMF/CAF/Cosafa

Os Mambas defrontam os Flames (nome de guerra do Malawi que, traduzido, significa “chamas”), esta terça-feira, quando forem 15h00, no Orlando Stadium, em Joanesburgo, África do Sul. A partida conta para a segunda jornada do grupo D de fase de qualificação ao Mundial 2022 e Horácio Gonçalves fará alterações no “onze”.

Esta será a 30ª vez em que Moçambique e Malawi se defrontam em todas as provas, desde amigáveis, fases de qualificação ao Campeonato Africano das Nações e Torneio Cosafa, mas é a primeira vez numa fase de grupos de apuramento ao Mundial de futebol.

Nas 29 partidas disputadas entre ambos, o equilíbrio, em termos estatísticos, é a nota dominante, com uma ligeira vantagem aos Mambas, no que diz respeito às vitórias, já que venceu 11 jogos e o Malawi ganhou nove. Os restantes nove jogos terminaram empatados.

Outro detalhe importante é o facto de, nas duas campanhas de qualificação à fase final de um CAN, nomeadamente para Egipto, em 1986, e para Burquina Faso, em 1998, os Mambas terem levado sempre a melhor e garantido a qualificação em detrimento dos Flames.

Na campanha para o CAN do Egipto, as duas equipas empataram a um golo, tanto em Maputo como em Lilongwe, sendo que os Mambas terminaram em segundo lugar no seu grupo, atrás dos Camarões.

Já para a qualificação ao CAN de 1998, o Malawi venceu em Lilongwe e, já em Maputo, num dos jogos mais épicos de Moçambique, o combinado moçambicano venceu por 2-1, com Tico-Tico a ser o herói, ao apontar o golo da vitória, aos 92 minutos, que deu a qualificação aos Mambas, terminando atrás da Zâmbia.

Na última década, em jogos entre ambos, Moçambique leva vantagem em relação ao Malawi, já que, de 15 de Abril de 2000 a 11 de Julho de 2021, se defrontaram por nove ocasiões, dos quais os Mambas venceram cinco jogos, o último deles no Cosafa deste ano, na África do Sul, por duas bolas sem respostas, que garantiu a passagem às meias-finais da prova regional. Os Flames venceram, por seu turno, dois jogos, nomeadamente, em Abril de 2000 (por 2-1), para o torneio Cosafa, e em Dezembro de 2009, num amigável disputado no Estádio da Machava.

 

JOGO DE MUITAS AMIZADES

O embate desta terça-feira, entre Malawi e Moçambique, estará envolto de muitas amizades, tendo em conta os contendores dentro das quatro linhas.

É que, do lado do Malawi, há jogadores muito bem conhecidos dos moçambicanos, com destaque para John Banda, jogador da União Desportiva de Songo e que milita no Moçambola 2021, para além de Richard Mbulu, jogador que em 2019 esteve a representar o Costa do Sol, clube que representou entre 2017 e 2019, com alguma passagem pelo Sanjoanense de Portugal, enquanto jogador “canarinho”.

E foi do ninho do Canário que Mbulu levantou voo para o Baroka da África do Sul, onde é colega de Manuel Kambala, Mamba, que não foi convocado.

Entretanto, amizades à parte, os Mambas entram para este jogo com ambições de vencer e somar os três pontos, para que esteja nos primeiros dois classificados quando estiver a defrontar os Camarões, na dupla jornada de Outubro.

A Federação Moçambicana de Futebol garantiu que foram criadas todas as condições para um jogo sem sobressaltos, para que a vitória, a 12ª diante dos Flames, seja efectiva esta terça-feira.

 

HORÁCIO GONÇALVES PODE FAZER ALTERAÇÕES NO SEU “ONZE”

Para este jogo diante do Malawi, o seleccionador nacional poderá fazer alterações na sua equipa inicial, comparativamente ao jogo diante da Costa do Marfim.

Uma das unidades que poderá não ser primeira opção de Horácio Gonçalves é Candinho, que poderá ser substituído por Geny Catamo, que se mostrou bastante importante aos Mambas, principalmente nos minutos em que esteve em campo na passada sexta-feira.

Também Melque pode não ser primeira opção, sendo que Nilton é o homem que parece estar em condições de entrar de início.

Martinho ou Betão, um dos dois poderá ceder o seu lugar a Abu, chamado nas vésperas do jogo diante dos “Elefantes”, daí perspectivar-se um sistema táctico de 3x5x2, com Ernan a continuar a ser o homem confiado para a baliza.

O sector defensivo poderá ser confiado a Zainadine Jr, acompanhado por Abu e Betão ou Martinho, sendo que a zona intermediária poderá ser entregue a Reinildo, na esquerda, Nené, Shaquile e Geny Catamo, no centro, e Brunho Langa, na direita, enquanto Luís Miquissone e Nilton.

Outras opções de Horácio Gonçalves para a equipa inicial são Estêvao, para a frente do ataque, Bonera, para a defesa, e Candinho para o meio campo.

Facto mesmo é que os Mambas buscam a vitória nesta partida, que inicia quando forem 15H00 de Maputo, no Orlando Stadium, na vizinha África do Sul.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos