O País – A verdade como notícia

Hora de decisões…no Chiveve

A história repete-se. Um ano depois de terem protagonizado uma final emocionante, decidida apenas no jogo cinco, Ferroviários de Maputo e da Beira voltam a estar na decisão do título de campeão nacional de basquetebol sénior masculino. Com um palco diferente, neste caso o renovadíssimo pavilhão do Ferroviário da Beira. 
Campeão nacional em título, o Ferroviário de Maputo venceu o seu homónimo da Beira na fase regular da prova por 80-61, num jogo em que o conjunto de Milagre Macome foi mais esclarecido na quadra.
O Ferroviário de Maputo quer conquistar o troféu e manter o estatuto de melhor equipa da actualidade. Mas, para tal, terá que ultrapassar um Ferroviário da Beira reforçadíssimo e que quer aproveitar o factor casa para conquistar o seu terceiro campeonato nacional na sua história.
Sem o mesmo ritmo competitivo que os seus adversários- até porque as provas no Chiveve resumem-se a quatro equipas- os vice-campeões nacionais esperam estar no seu melhor nível na final para chegarem ao tão almejado título.
O jogo um do “play-off” da final, a melhor de cinco, está marcado para quarta-feira, às 18 horas, no pavilhão do Ferroviário da Beira.
Na quinta-feira, de acordo com a Liga Moçambicana de Basquetebol, será observado um dia de descanso. Já na sexta-feira, a mesma hora e no mesmo local, terá lugar o jogo dois desta grande final. Sábado, às 17h30, Ferroviários de Maputo e da Beira protagonizam o jogo três do “play-off” da final da Liga Moçambicana de Basquetebol Mozal. Caso seja necessário, segunda-feira, está agendado o jogo quatro da final da competição.
 

Jogos emocionantes havidos ano passado
Em 2016, no pavilhão do Maxaquene, Ferroviários da Beira e de Maputo protagonizaram uma final muito bem disputada. O Ferroviário de Maputo sagrou-se campeão nacional de basquetebol em seniores masculinos, após vencer, no quinto jogo do “play-off” da final, o seu homónimo da Beira (69-56). No jogo um do “play-off”, realizado a 7 de Agosto de 2016, o Ferroviário da Beira foi mais forte, tendo vencido o seu adversário por 77-56. No dia seguinte, ou seja, a 8 de Agosto, houve “jogo de loucos” com o Ferroviário de Maputo a vencer por apenas um ponto: 62-61. Depois de um descanso a 9 de Agosto, as duas equipas voltaram a bater-se para a decisão do título no jogo três, disputado a 10 de Agosto. 
O Ferroviário da Beira foi novamente mais forte ao vencer por 73-64. A 11 de Agosto, num jogo em que os “locomotivas” da capital eram obrigados a vencer, o conjunto de Milagre “Mila” Macome esteve melhor na quadra, vencendo por 71-63. Já a 13 de Agosto, no dia de todas as decisões, o Ferroviário de Maputo venceu o seu homónimo da Beira (69-56) e conquistou o título de campeão nacional de basquetebol sénior masculino. Nessa partida, recorde-se, o Ferroviário da Beira entrou melhor no jogo conseguindo um parcial de 7-0. Mas, no final do primeiro período, o parcial era de 15-14 a favor do conjunto orientado por Milagre Macome que procurava conquistar um título 15 anos depois! 
 Ao cabo dos dois primeiros quartos, a marcha do marcador indicava 39-18 a favor do Ferroviário de Maputo. Mais forte colectivamente, o Ferroviário de Maputo encontrou soluções debaixo da tabela para manter a sua vantagem. Edson Monjane e Elton Ubisse deram muita luta quanto se fartaram! Ainda sobrou espaço para espectáculo. 
No final do terceiro período, o conjunto da capital vencia 53-39. À entrada do quarto e último período, a palavra de ordem de Nazir Salé foi intensificar a pressão e obrigar o Ferroviário de Maputo a muitas perdas de bola. Até resultou, em algum momento, mas depois… foi uma lição de basquetebol por parte de Borjan Sekic. Não houve pernas para travar o base do Ferroviário de Maputo que venceu, no final, por 69-56.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos