O País – A verdade como notícia

Hélder Martins desaconselha cerco sanitário para capital e diz que crianças são menos propensas à COVID-19

O antigo ministro da Saúde, Hélder Martins, diz que a cerca sanitária para controlar a COVID-19 na cidade de Maputo seria dispendioso e ineficaz. Martins explica também que crianças de até 11 anos não são obrigadas a usar máscara porque são pouco transmissoras, pouco infectáveis e elas dificilmente morrem por COVID-19.

Esteve numa entrevista exclusiva ao “O País” a falar da COVID-19, uma doença para a qual tem muito a dizer, porquanto faz parte da Comissão Técnico-científica que lida com a doença. Hélder Martins falou do actual epicentro da COVID-19 no país, a capital e deixou a sua opinião em relação aos cuidados a ter com menores de idade. Acompanhe a seguir alguns excertos da entrevista.

Que cuidados se deve ter com crianças ou alunos que tenham doenças crónicas?

Os alunos que têm doenças crónicas, evidentemente devem ser tratados com cuidados especiais. Mas não são muitos, a população escolar a nível primário são cerca de seis milhões. A maioria não tem esses problemas. A maioria está em boa saúde. Aqueles que têm problemas precisam de cuidados específicos conforme o seu problema. Por exemplo, o asmático tem cuidados específicos. É um difícil estar a dar uma receita generalizada. O que se deve ter em atenção é que existem algumas crianças que exigem alguns cuidados especiais que devem ser indicados pelo médico. Por vezes pode ser necessário um certificado médico para que a escola perceba que a criança tem necessidade de cuidados especiais.

Há consequências no uso da máscara?
Tem havido algumas pessoas nas redes sociais que vem com teorias de que o uso da máscara por muito tempo provocaria uma dificuldade de oxigenação. A máscara pode ser um pequeno obstáculo. A máscara tem vantagens, mas eu costumo sempre usar viseira porque ela já não tem esses problemas. A máscara é mais fácil de se encontrar na rua, feita de pano, mas a viseira também pode ser improvisada. Pode se fazer uma viseira a partir de uma garrafa plástica. A primeira viseira que eu fiz foi a partir de uma garrafa de Coca-cola.

Falando em máscaras, a partir de que idade se pode usar a máscara?

Sobre isso existe uma decisão da Comissão técnico-científica. É a partir de 11 anos. Tudo isso é porque abaixo de 11 anos as crianças são muito pouco transmissoras. As crianças, em geral, são infectadas pelos adultos. As crianças são muito menos infectáveis. As crianças. Parece que nas células infantis há uma molécula não muito bem desenvolvida e é lá onde o vírus procura se instalar e acaba não tendo esse espaço nas crianças. E mais, as crianças normalmente não morrem por COVID-19, morrem com COVID-19. As que morrem, morrem por outras doenças.

A cerca sanitária seria uma solução para travar a COVID-19 na cidade de Maputo?

A cerca sanitária é uma coisa de uma logística complicadíssima e de uma ineficácia reduzidíssima. São medidas altamente dispendiosas, o envolvimento de Forças de Defesa e Segurança. As Forças de Defesa e Segurança estão muito ocupadas com outros assuntos, com Cabo Delgado e com o centro do país. Deixem-os tranquilos. É melhor não se falar de cerca sanitária.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos