O País – A verdade como notícia

HCM reduziu atendimento a pacientes este ano

O número de consultas nos serviços de urgências do Hospital Central de Maputo (HCM) baixou de pouco mais de 219 mil, em 2019, para 160 mil, este ano. Em parte, a redução deve-se às restrições impostas por causa do novo Coronavírus.

O director-geral da maior unidade sanitária do país, Mouzinho Saíde, esclareceu que a redução de pacientes deveu-se ao receio das pessoas em aproximar-se às unidades sanitárias, devido à pandemia da COVID-19.

Esta quarta-feira, Mouzinho Saíde fez balanço do ano prestes a findar, tendo indicado que houve muitos desafios aos quais o HCM teve de se adaptar, por conta da propagação do novo Coronavírus.

Apesar do receio devido à pandemia, o Serviço de Oncologia foi dos que mais pacientes atendeu ao longo do ano.

Aliás, o dirigente disse ainda que, em 2018, a maior unidade sanitária registou cerca de 200 mil consultas nos serviços de urgências.

Em relação à punição de funcionários acusados de prática de corrupção no sector da Saúde, este ano houve 60 processos disciplinares, duas rescisões de contratos e uma demissão. Dezassete processos continuam em tramitação, segundo Mouzinho Saíde.

O grosso de trabalhadores foi implicado em processos relacionados com o mau atendimento a pacientes, cobranças ilícitas, falta de assiduidade e furto de alguns bens do HCM.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos