O País – A verdade como notícia

HCM com 500 unidades de sangue para quadra festiva

Duzentos funcionários estarão afectos aos serviços de urgência do Hospital Central de Maputo (HCM) durante a quadra festiva, disse a directora clínica do maior hospital do país, Farida Urci, adiantando que já foram mobilizadas 500 unidades de sangue.

Durante as festas, pessoas feridas em acidentes de viação e agressões físicas são as que mais dão entrada nos serviços de urgência do HCM e quase sempre precisam de transfusão de sangue.

Os 200 funcionários visam ainda reforçar as escalas de trabalho, sobretudo para reduzir o tempo de espera durante o atendimento neste momento de pandemia do novo Coronavírus.

O reforço não é apenas para os serviços de urgência mas igualmente os sectores de reanimação, laboratório, lavandaria, esterilização, radiologia e outros serviços, “sem os quais não é possível fazer diagnóstico e tratamento de patologias” que levam os cidadãos ao hospital, esclareceu Farida Urci.

A informação foi tornada pública, esta terça-feira, numa conferência de imprensa sobre o nível de prontidão do HCM para a quadra festiva. Segundo Farida Urci, este ano, as unidades de sangue são em número elevado comparativamente a igual período do ano passado, que eram tinham apenas 200.

Apesar da quantidade disponível, a directora clínica alerta para a necessidade de “reposição do stock” de modo a evitar ruptura.

Para a dirigente, a quadra festiva propicia o aumento de desmandos, daí que apelou para o cumprimento das medidas de prevenção da COVID-19, com vista a evitar o aumento do número de casos positivos nas primeiras semanas de 2021.

Aos pacientes com doenças crónicas, a directora clínica no HCM recomendou o consumo de alimentos em quantidades prescritas pelos profissionais de saúde e nunca pararem de medicar.

O calor intenso que se faz sentir no país, em particular na cidade de Maputo, é outro problema do mês Dezembro, na medida em que causa desidratação e complicações de pele. Por isso, a exortação é o consumo de água e evitar exposição ao sol, principalmente para as pessoas com problemas de pigmentação.

Aos pais e encarregados de educação, o apelo é no sentido de vigiar as crianças para evitar afogamentos, violação sexual e queimaduras por objectos pirotécnicos, disse Farida Urci.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos