O País – A verdade como notícia

Haverá música ao vivo na transição do ano em hotéis de Maputo

Alguns hotéis em Maputo vão investir em música ao vivo para entreter os seus hóspedes e público em geral que estiver naqueles locais. Os grandes nomes são Stewart Sukuma e a banda Grand Mah, cada um do seu lado.

De 2019 restam apenas algumas horas, mas quem disse que o tempo é directamente proporcional à quantidade de emoções que se podem ainda vivenciar dentro destas horas? Pois é, ninguém. Então, os hotéis não querem falhar. Querem dar de tudo para que se vivam momentos memoráveis nos últimos instantes deste ano e se arranque o novo ano em festa.

No hotel Cardoso, na cidade de Maputo, por exemplo, a banda Grand Mah vai fazer a festa para o público. Para isso, já decorrem os devidos acertos. A estrutura do palco até já foi montada e está bem visível na área verde do hotel. Mas nem tudo está pronto. Por isso,  ainda se faz um toque aqui, outro ali e os técnicos de som e de luz não pensam duas vezes antes de fazer subidas perigosas para acertar o que for necessário. Tudo está a ser feito para que corra às mil maravilhas.

Fora a boa música, o Cardoso vai soltar os habituais fogos de artifício, os quais são posicionados de tal forma que quem estiver na zona baixa da cidade de Maputo vai ver o céu pintado e quem estiver no hotel vai ter uma visão multipaisagística. Isto é, vai ver o fogo artificial, vai ver a Baía de Maputo, assim como a própria cidade, passando pela nova imagem da ponte  Maputo-Katembe.

O espaço está preparado para receber 350 pessoas, entre hóspedes e público em geral. Vão estar distribuídos em mesas redondas, enquanto degustam as iguarias que estarão prontas e servidas aos presentes.

Esses são os pontos fortes, mas há mais a ser preparado por esta estância. "Vamos servir um welcome drink para os que consomem álcool e para os que não consomem também", revelou o responsável de eventos daquele hotel.

E porque a música é a aposta, no hotel Polana, ainda em Maputo, a banda Nkuvu e Stewart Sukuma vão animar a festa de transição, que terá como tema Hollywood. Por isso, o dress code deverá ser dress to kill – vestir para matar – para que seja mesmo uma noite de estrelas.

A noite de gala será no salão nobre do hotel e até à noite ontem os preparativos estavam a um ritmo razoável.

As mesas serão decoradas em tom dourado e deverá ser tudo à altura dos convidados.

Segundo o  director-geral do grupo Serena, Abhishek Negi,  "o mais importante é estar de preto e branco, uma gravata preta".

E a promessa de momentos memoráveis não vem apenas da direcção do hotel, mas também do músico que vai actuar, e vai um alerta.

"Não vamos tocar nada de Stewart Sukuma", anuncia a novidade, sublinhando que se tratará de "uma noite de Hollywood e nós vamos tocar músicas que foram trilhas de vários filmes famosos e conhecidos pelos convidados", explicou Sukuma.

"Não quero que se sintam defraudados quando chegarem aqui e não ouvirem Felismina. Não é dia de Felismina".

Além de Nkuvu, haverá mais duas bandas a actuar em diferentes compartimentos do hotel. "Vamos ter também after party com a actuação de DJ", referiu Negi.

Tanto uma estância quanto outra referem que têm poucos quartos disponíveis, mas há ainda espaço para quem queira fazer parte destas festas nos seus hotéis.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos