O País – A verdade como notícia

Guiné Equatorial decreta recolher obrigatório e proíbe entrada de voos de países com variante Ómicron

A Guiné Equatorial vai proibir a entrada de voos dos países com a nova variante da COVID-19, Ómicron, a partir de segunda-feira até 2 de Janeiro de 2022. Entre as medidas restritivas também está o recolher obrigatório, para conter a propagação da doença.

O decreto presidencial diz que apenas será aceite a entrada de cidadãos equato-guineenses provenientes do estrangeiro, mas estes terão de cumprir quarentena.

Para os voos internos, as autoridades exigirão testes com resultado negativo e cartão de vacinação para cada passageiro no check-in e embarque.

Outra medida a ser adoptada é o estabelecimento de um recolher obrigatório a partir das 23 até às 6 horas locais do dia seguinte durante o período previsto pelo decreto.

Até o momento, a Guiné Equatorial registou cerca de 13.600 casos e 175 mortes por COVID-19.

De acordo com a Lusa, que cita um decreto presidencial, o recolher obrigatório foi imposto “a fim de prevenir a transmissão da doença pela comunidade” e “o Governo deve continuar a sensibilizar a população com o objetivo de atrair e aumentar a perceção de risco da população e conseguir mudanças de comportamento duradouras”.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos