O País – A verdade como notícia

Guambe aponta para voos altos

Quem investe quer e pensa, claramente, no retorno. E no basquetebol, precisamente, o Costa do Sol “abriu os cordões à bolsa” para montar uma equipa competitiva com a contratação de internacionais basquetebolistas moçambicanos, a saber: David “Mano” Canivete, Octávio Gregório Magoliço, Ivan Machava, Klaus Bunguele (a contas com uma lesão) e Luís “Lulu” de Barros que se juntam a um leque de atletas que, em 2019, colocaram o clube na final do “nacional”: Francisco Braga, Daniel Maveure, Egídio Zandamela, Asmilton Ribeiro, entre outros.

E, em termos de retorno e no final de um ciclo de quatro anos, os “canarinhos” não só querem campear em todas as competições em que participam, como também estabelecer uma “nova ordem” na modalidade da bola ao cesto no país.

E, depois de terem realizado uma fase regular aceitável, os “canarinhos” sonham com a conquista do Torneio Nutrição, sábado, diante do Ferroviário de Maputo.

“As finais são para ser ganhas. Nós estamos a trabalhar, ao longo deste período, para chegarmos a esta fase e podermos vencer. É um adversário com o qual tivemos vários confrontos, alguns dos quais positivos e outros negativos”, recordou Nilton Seifane, capitão do Costa do Sol.

Boa pontuação (94-77 a favor dos “canarinhos”) para quem esteve muito tempo parado devido à COVID-19, boa propaganda para a modalidade da bola ao cesto.

Assim, foi o segundo jogo da fase regular do Torneio Nutrição entre o campeão e vice-campeão nacional, com fortes ambições e com os olhos colocados aos “troféus”.

“Na fase regular, perdemos um jogo com o nosso adversário da final e ganhámos o outro depois de termos tido mais embates que nos permitiram melhorar os nossos processos. Eu acredito que vai ser um bom jogo, porque as duas equipas têm bons valores. Reforçámos a nossa equipa com jogadores que emprestam muita experiência e queremos capitalizar esta situação”, palavras do base armador do Costa do Sol, ele que se mostra confiante num bom resultado.

Com um investimento notável na contratação de atletas experientes, o Costa do Sol eleva a fasquia para as provas em que estará envolvido. E outra coisa não seria de exigir dado o plantel equilibrado.

“Estamos, exactamente, a acabar um ciclo de quatro anos. É altura de termos que dar um salto qualitativo. Esta prova que vai terminar sábado tem a sua importância, mas a maior é continuarmos a ganhar mais confiança para as competições mais importantes”, precisou Miguel Guambe, treinador do Costa do Sol.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos