O País – A verdade como notícia

“Grupo 15” volta com armas de fogo e aterroriza os mototaxistas em Mocuba

Foto: O país

Treze taxistas motorizadas já foram vítimas de assaltos por malfeitores desde o ano passado a esta parte, no Município de Mocuba, província da Zambézia. Estes relatam cenários de homens catanas e pessoas de má-fé, suspeitamente do “Grupo 15”, que tudo fazem para causar instabilidade na actividade.

A população de Mocuba vive um verdadeiro terror. Sucede que o crime violento voltou a tomar conta dos residentes. Quando se pensava que a zona económica especial vive tranquilidade, eis que, desde o mês de Dezembro do ano passado, o vulgo “Grupo 15” voltou a tomar estabelecimentos comerciais e residências das famílias para saquear.

Na última quinta-feira, um agente económico foi baleado mortalmente num dos seus olhos. O crime ocorreu por volta da uma da madrugada. Testemunhas contam que tudo começou quando o referido agente económico acompanhava o movimento de entrada de pessoas no seu estabelecimento comercial. Ele e mais alguém, com quem estava na altura, decidiram sair do perímetro da loja.

Já no regresso, foi atingido por uma bala num dos olhos e morreu no local do crime. Depois, o corpo da vítima foi levado à casa mortuária do hospital distrital e já foi sepultado.

A velocidade criminal é tanta e, por via disso, tem estado a ganhar contornos alarmantes. Nos últimos dias, a urbe tem registado crime com recurso à arma de fogo do tipo pistola. Os mototaxistas fazem parte do grupo que não escapa às acções criminais que aterrorizam aquela região da província da Zambézia.

Julião António, um mototaxista de Mocuba, disse “que as pessoas solicitam os nossos serviços, vamos ao local na perspectiva de satisfazê-las, mas, a seguir, deparamo-nos com sujeitos munidos de objectos contundentes. Por vezes, levam apenas dinheiro, outras dinheiro e motorizadas. Solicitamos às autoridades para fazerem o seu trabalho para estancar esta situação”.

Dados indicados pelas autoridades policiais indicam que há registo de pelo menos treze casos de mototaxistas que não escaparam às incursões dos malfeitores. “De facto, confirmamos e temos estado preocupados em esclarecer cada caso. Muitas vezes, não conseguimos ter pistas dos casos envolvendo os mototaxistas. O que sabemos é que, muitas vezes, eles são solicitados os seus serviços, levam os passageiros, mas depois acabam por cair na malha dos criminosos”, disse Deldalvino Armando, chefe das Operações da Polícia no Comando Provincial de Mocuba.

No entanto, a edilidade de Geraldo Sotomane acaba de construir e inaugurar dois postos policiais que vão servir a 35 mil habitantes do Município de Mocuba, na perspectiva de controlar os casos criminais. “Estamos cientes dos casos criminais na nossa cidade, por isso estamos a construir postos policiais para os agentes da lei e ordem, como forma de aproximar os serviços aos cidadãos”.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos