O País – A verdade como notícia

Governo pede apoio à União Europeia para combater terrorismo

O Governo pediu apoio à União Europeia em logística e treinamento especializado para reforçar a resposta militar ao terrorismo em Cabo Delgado. Uma carta da Ministra dos Negócios Estrangeiros à Bruxelas indica que o conflito já causou 800 mortes, 300 mil deslocados, incluindo 52 jovens barbaramente assassinados por se terem recusado a passar para o lado dos terroristas.

É por meio desta carta, datada de 16 de Setembro e assinada pela Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo, que Moçambique solicita o apoio da comunidade europeia para reforçar o combate à insurgência em Cabo Delgado.

O pedido acontece vários meses após a organização continental ter manifestado disponibilidade em ajudar na resposta ao conflito.

“Tendo em conta a necessidade de reforçar as medidas de resposta militar e de segurança, bem como contrapor o avanço dos terroristas e restabelecer a lei, ordem e tranquilidade públicas nos distritos afectados, o Governo de Moçambique considera importante o apoio na área de treinamento especializado para o combate ao terrorismo e insurgência, através de apoios multiformes: formação; logística para as forças de combate ao terrorismo; equipamento de assistência médica em zonas de combate e capacitação técnica do pessoal”.

O Governo pede ainda ajuda para implementar programas de desenvolvimentos nas zonas em conflito, como forma de reduzir a vulnerabilidade da população, principalmente jovem, em colaborar com os terroristas.

“O Governo moçambicano considera importante o reforço do apoio dos parceiros de cooperação internacional aos programas e projectos que estão a ser implementados nas províncias de Cabo Delgado, Niassa e Nampula, sob coordenação da Agência de Desenvolvimento Integrado do Norte (ADIN). Estes apoios, poderiam igualmente estender-se à Implementação do Projecto regional da SADC, através da fixação do Centro de Operações Humanitárias e de Emergência da SADC em Nacala, na província de Nampula”.

Moçambique assume que “nos últimos tempos, nota-se com preocupação a tendência de intensificação e alastramento das acções dos terroristas para mais distritos da província de Cabo Delgado, perfazendo 9 distritos” e detalha que “até ao momento, a acção deste grupo resultou na morte de cerca de 800 pessoas e o deslocamento de cerca de 300 mil cidadãos, incluindo cerca de 52 jovens barbaramente assassinados por se terem recusado a passar para o lado dos terroristas. Os terroristas sequestraram pessoas, incluindo religiosos, como acontece a 11 de Agosto de 2020, com as freiras brasileiras em Mocímboa da Praia”.

A terminar, Moçambique revela que durante os ataques às posições das Forças de Defesa e Segurança, os terroristas usam crianças e mulheres como escudos humanos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos