O País – A verdade como notícia

Governo já tem 14 milhões de livros disponíveis para ano lectivo escolar 2019

O governo garante que o livro escolar de distribuição gratuito chegará aos alunos a tempo, para tal foram adquiridos 14 milhões de livros de primeira a sétima classe e em todas disciplinas que chegaram aos distritos até meados de Janeiro.

Anualmente cerca de 14 milhões de livros didácticos com 82 títulos, da primeira à sétima classe, para cerca de seis milhões de alunos são adquiridos pelo governo moçambicano para a distribuição gratuita. O custo anual da cadeia de provisão do livro escolar em Moçambique é de cerca de 17 milhões de dólares americanos, garantidos por 11 parceiros de cooperação através do Fundo de Apoio ao Sector da Educação (FASE).

Para assegurar que os locais de difícil acesso tenham o referido material didáctico, antes dos constrangimentos decorrentes da chuva e de outras intempéries nesta época chuvosa que se prolonga até Março próximo, o governo já iniciou com o processo de distribuição do livro e que deverá se estender até meados do próximo mês de Janeiro de 2019.

Os distritos de Morrumbala, Mopeia, Nicoadala e Chinde, na província da Zambézia, e Massinga e Zavala, em Inhambane, já dispõem do livro de distribuição gratuita para o ano lectivo escolar 2019, garantiu a Ministra da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH) Conceita Sortane.

“O livro já está no terreno, já estamos a distribuir, o que nós estamos a fazer é evitar aquilo que aconteceu no ano passado. O livro já estava em Moçambique, mas atrasou porque é impresso no exterior. Depois de termos feito a recepção decidimos que o livro deve ir aos distritos, tendo em conta as chuvas que têm ocorrido nos finais de Dezembro para Janeiro”, disse Conceita Sortane.

Sobre a venda ilegal do livro de distribuição gratuita, Conceita Sortane diz que o governo não vai perdoar. “No ano passado tivemos que criar mecanismo para carimbar o livro, porque as escolas privadas não tinham tido livros. Entretanto, tem havido um caso e outro, situações de má-fé em que fazem a venda do livro. Há procedimentos legais, como por exemplo: processar”, acrescentou Sortane.

Para 2019 foram adquiridos 14.778.363 livros para o ensino primário, sendo 14.341.863 para os alunos de 1ª. À 7ª. classes, 274.500 manuais e 162.000 guiões de professores. Conceita Sortane afirmou ainda que para a 3ª. classe, que a partir do próximo ano será ministrada com num novo currículo, foram comprados mais de 2.129.000 livros. Os manuais usados de há anos até 2018 caíram em desuso.

Num outro desenvolvimento, a fonte esclareceu que de 4ª. À 7ª. classes haverá reposição de 40% dos livros usados este ano. “Está em processo a reimpressão de livros em 16 línguas moçambicanas para o ensino bilingue em 2019; e a transcrição e impressão dos livros da 2ª. classe em grafia braile”, explicou Sortane.

A distribuição dos materiais em alusão iniciou em Novembro e a aquisição custou cerca de 25 milhões de dólares norte-americanos. No ano lectivo prestes a findar, o sector comprou mais de 13 milhões de livros, dos quais cinco milhões da 1ª. e 2ª. classes.

Ademais, o MINEDH anunciou, este ano, que a partir de 2019 vai introduzir um sistema de inventário do livro escolar de distribuição gratuita, visando controlar a sua alocação em diferentes escolas do país. A finalidade é contornar os desvios do material, um problema com o qual o ministério defronta-se Lembre-se que a abertura do ano lectivo 2019 está prevista para o 1°. de Fevereiro do ano 2019.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos