O País – A verdade como notícia

Governo do Japão doa USD 1,8 milhões para assistência alimentar em Cabo Delgado

Foto: Embaixada do Japão

O Governo do Japão forneceu JPY 200 milhões, correspondentes a USD 1,8 milhão ao Programa Mundial para a Alimentação (PMA) em Moçambique, para amenizar a insegurança alimentar das comunidades desalojadas pela violência em curso na província de Cabo Delgado. O acto foi testemunhado pelo Governo moçambicano, através da directora-geral do Instituto Nacional de Gestão de Riscos e Desastres, Luisa Meque.

O montante doado pelo Governo nipónico irá apoiar o PMA na compra de peixe enlatado, para fornecer assistência alimentar de emergência e melhorar a nutrição de mais de 25 mil pessoas deslocadas pela violência em Cabo Delgado, nos próximos 12 meses.

A segurança alimentar é apontada pelo Japão como uma componente importante da assistência japonesa em Moçambique, que inclui apoio às crises humanitárias mais recentes, como o conflito no norte, a resposta de emergência aos choques climáticos e os impactos da pandemia da Covid-19.

A assistência japonesa atende às necessidades imediatas das comunidades e apoia a construção de resiliência para preparar as comunidades frente às emergências futuras.

“O Governo do Japão está extremamente preocupado com a situação humanitária no norte de Moçambique”, disse o embaixador do Japão, em Maputo, Kimura Hajime, através de um comunicado de imprensa emitido esta quinta-feira, documento no qual sublinhou que “todos nós precisamos de apoiar para aliviar a crise humanitária em curso. O Japão decidiu cooperar com o PMA para melhorar a segurança alimentar das populações deslocadas em Cabo Delgado. Estamos lado a lado com o povo moçambicano e vamos continuar a apoiar os nossos amigos moçambicanos para fazerem face aos desafios da insegurança em curso”.

Com o apoio de doadores como o Japão, o PMA está a atender às necessidades de 800 mil pessoas deslocadas internamente e das mais vulneráveis ​​dentro das comunidades acolhedoras no norte de Moçambique.

Por seu turno, o director-adjunto do PMA em Moçambique, Pierre Lucas, disse que as necessidades estão a aumentar, com mais de 800 mil pessoas deslocadas e milhares de afectadas nas comunidades acolhedoras na zona norte.

“Mais uma vez, o Governo do Japão posicionou-se para apoiar o povo moçambicano. O PMA tem a honra de receber esta doação japonesa para as famílias afectadas pelo conflito e as contribuições contínuas do Japão para apoiar a assistência alimentar do PMA que salva vidas. Esperamos que outros doadores sigam o exemplo japonês”, enalteceu Pierre Lucas.

O Governo do Japão tem financiado assistência alimentar para países em desenvolvimento desde 1968 e é um parceiro de longa data do PMA em Moçambique.

As contribuições anteriores do Japão para a assistência humanitária do PMA aconteceram em 2020 e, no início de 2021, com um orçamento total de USD 5,29 milhões para fornecer assistência alimentar e apoio aos meios de subsistência para refugiados e requerentes de asilo no Campo de Refugiados de Maratane (província de Nampula) e para deslocados internos na província de Cabo Delgado.

Em Maio de 2019, o Japão contribuiu com USD 6,9 milhões para o fornecimento de assistência alimentar de emergência às pessoas afectadas pelo ciclone Idai no centro de Moçambique.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos