O País – A verdade como notícia

Governo deve isentar as televisões na importação de materiais

Foto: O País

O Estado deve criar formas de incentivar as televisões a fazerem investimentos ligados à transição da transmissão da televisão analógica para digital, segundo defendeu o secretário-geral da Renamo, André Magibire, durante a visita efectuada esta quarta-feira às instalações do Grupo SOICO.

Numa semana em que o Governo procedeu à primeira fase do desligamento dos emissores analógicos de televisão para poder iniciar a transição para o sinal digital, nas cidades de Maputo, Nampula e Tete, o secretário-geral da Renamo, André Magibire, defende a necessidade de haver isenção na importação de alguns materiais.

“É preciso que o Estado comece a pensar na isenção, na importação de alguns materiais para as televisões, porque não tem sido fácil para as empresas de media, e não deve haver disparidade, nem monopólio, principalmente na fase em que estamos, a sair do analógico para o digital”, defendeu André Magibire.

Durante a visita às instalações do grupo SOICO, Magibire destacou a importância da actuação imparcial dos meios de comunicação social no país, como um dos caminhos para o alcance da verdadeira democracia multipartidária.

“Sabemos que a STV, muito antes deste processo de migração, já era 80% digital, por isso viemos aqui para olhar de perto a instituição que é nossa parceira, não apenas nossa, mas de todos os outros partidos. Estamos satisfeitos com o trabalho que tem feito, pois transmite informação com isenção, transparência e, acima de tudo, muita imparcialidade. Isto é bom e saudável para o país e para o crescimento da democracia multipartidária”, completou.

A comitiva da Renamo teve a oportunidade de conhecer os vários departamentos que compõem o Grupo SOICO e o trabalho que tem feito para garantir a qualidade dos conteúdos produzidos nesta nova era, a digital.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos