O País – A verdade como notícia

Governo contradiz-se e entrega autocarros à gestão municipal

Foto: O País

Contrariamente ao que tinha prometido, o Governo não tem, definitivamente, novo modelo de gestão dos autocarros movidos a gás. Hoje, 34 dos 80 veículos, que há dias geraram polémica por estarem parqueados enquanto os cidadãos minguam por transporte, foram entregues ao Município da Matola, contrariando as palavras de que a gestão municipal não era a melhor solução.

Os 80 autocarros movidos a gás adquiridos pelo Governo ficaram três meses parqueados, porque o Executivo não queria entregá-los à gestão dos municípios. “Já temos o processo de matrículas completamente finalizado, os seguros estão garantidos, urgentemente vamos ter que colocar os autocarros a circular, desde que não coloquemos nas mãos dos municípios”, disse, mês passado, Manuela Rebelo, vice-ministra dos Transportes de Comunicações

EXECUTIVO PENSAVA EM LANÇAR CONCURSOS PÚBLICOS

Porque a demora na entrega já era longa e o sofrimento da população continuava, o “O País” procurou respostas junto do Executivo. E o argumento era de que a melhor proposta de gestão dos autocarros era através de concursos públicos. “Estamos constantemente a distribuir autocarros, mas depois voltamos a ter problemas porque estes pararam. Por isso, estamos à procura de uma solução a esse problema. Julgamos que a melhor saída é fazer um concurso público. Quem ganhar irá explorar uma determinada rota. Esse é um processo que está a correr e achamos que poderá ser assim”, confiou na altura Rebelo.

Entretanto, nesta quinta-feira, o Governo deu indicação de que repensou e mostrou que não tem outro modelo de gestão dos autocarros, senão entregá-los à gestão dos municípios. E, nesta senda, 34 dos 80 autocarros estão já sob alçada do Município da Matola.

Questionado sobre o porquê o Governo recuou da ideia de lançar concursos públicos para entregar os autocarros aos municípios, que são alegadamente maus gestores, Calisto Cossa respondeu nos seguintes termos: “Não é esse o nosso entendimento. Não há contradições entre o Município da Matola e o Governo central. Estamos a trabalhar dentro de uma parceria e essa parceria está vigente. O mais importante é que os autocarros estão aqui”, rebateu Cossa, tendo avançado que, afinal de contas, alguns autocarros já estão em funcionamento há alguns dias.

“O facto é que os autocarros já estão a circular. Aqui, trouxemos os autocarros que ainda não haviam entrado em funcionamento. Aqui, temos 15, os restantes estão no terreno e em funcionamento. Entendemos que entre os municípios e o Governo central não há nenhum tipo de divergência. Nada está a falhar. O resultado que se pretende é transportar os munícipes e isso já está a acontecer”, disse o edil.

Contradições à parte, o presidente do Município da Matola diz que, com autocarros, irão abrir novas rotas. “ Esses autocarros não só irão alimentar os cidadãos que usam as rotas tradicionais da área metropolitana de Maputo, nomeadamente Maputo-Matola, Matola-Marracuene-Boane, mas também pretendemos fazer uma interligação com vários bairros. Onde tivermos condições em termos condições de transitabilidade, queremos colocar um autocarro. Pretendemos ter autocarros que saiam de Mualaze até na Matola A, passando por outros bairros como T3, usando a estrada T3 Boquisso, que já está em condições de transitabilidade, faltando os remanescentes 4.5 km que saem da Estrada Circular a Boquisso. Isso é para permitir que todos os bairros da zona centro da nossa cidade, como Kongolote, 1º de Maio, Dlavela, Acordo de Lusaka, Matibwana, Machava KM 15, Bunhiça possam ter transporte”, detalhou o edil.

DOIS PONTOS DE ABASTECIMENTO PARA 34 AUTOCARROS

A edilidade diz que existem apenas dois pontos de abastecimento para os 34 autocarros, o que não preocupa os gestores que garantem que há esforços para montar um posto na sede da Empresa Municipal de Transportes Públicos da Matola.

“Já esperávamos por estes autocarros há anos. E quando soubemos que iriamos receber esses meios, entramos em contacto com a empresa fornecedora que é a Auto Gás, que garantiu que irá envidar esforços para a montagem de mais um ponto de abastecimento junto à nossa empresa. Ainda não temos datas de quando esse processo será finalizado. Por enquanto, os veículos serão abastecidos na Cidade de Maputo e na Machava”, explicou Edson Ussaca, presidente do Conselho de Administração da Empresa Municipal de Transportes Públicos da Matola.

A edilidade garantiu ainda que a manutenção dos autocarros está garantida sendo que esta será feita pela Matchedje Motors. “Aquando da aquisição dos autocarros, a Agência Metropolitana de Transportes de Maputo acautelou esta questão da manutenção e esta será feita pela empresa Matchedje Motors. Estamos preocupados em ter os nossos funcionários ligados à Empresa Municipal de Transporte Público da Matola formados para que também saibam lidar com esses veículos. Existe uma manutenção periódica que está prevista e que foi orientada pelo próprio fornecedor. Há, inclusive, um guião que vamos procurar cumprir de forma rigorosa para que o seu uso seja duradoiro”, garantiu Ussaca.

Já no final, o edil da Matola lançou o repto à gestão da Empresa Municipal de Transportes Públicos da Matola, para que cuide bem dos meios circulantes. “Gostaríamos de apelar para o uso responsável desses autocarros. Hoje, estão novos e gostaríamos que ficassem assim por muito tempo, porque não teremos condições financeiras para poder adquirir sempre novos autocarros.”

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos