O País – A verdade como notícia

Gonçalves chama mais quatro para os Mambas

Mais quatro jogadores foram chamados por Luís Gonçalves para os trabalhos de preparação da Selecção Nacional de Futebol. Estas chamadas pendem-se com ausências confirmadas de jogadores estrangeiros e com casos positivos registados em jogadores que actuam internamente, que segunda-feira realizaram testes da COVID-19

A preparação do combinado nacional de futebol para os dois embates deste mês de Março, nomeadamente diante do Ruanda e Cabo Verde, de qualificação ao CAN dos Camarões, arrancou conturbada, com casos positivos de jogadores internos e ausências de “estrangeiros”, que deixam Luís Gonçalves preocupado.

Depois dos testes de despiste da COVID-19 realizados nos jogadores, que actuam internamente e convocados para integrarem a preparação dos Mambas, esta segunda-feira, os resultados não agradarão a equipa técnica. Três, dos 14 jogadores do Moçambola, acusaram positivo e ficam por terra nesta dupla empreitada, o que obrigou o seleccionador nacional a chamar mais quatro para cerrar esta adversidade.

A Federação Moçambicana de Futebol não anunciou os nomes dos jogadores infectados, mas segundo fonte do organismo que gere o futebol moçambicano, os mesmos foram dispensados para cumprirem o isolamento obrigatório.

Assim, Luís Gonçalves chamou dois defesas, um médio e um avançado para se juntarem aos Mambas, nomeadamente Chico Mioche (defesa) e Nelson (médio), ambos do Costa do Sol, e Fidel (defesa) e Melque (avançado), da Associação Black Bulls, que já trabalham desde esta quarta-feira com o restante grupo.

Ainda a contar com os três jogadores infectados, uma vez que não foram identificados, e com mais estes quatro reforços, das equipas que actuam no Moçambola os “canarinhos” passam a contribuir com seis jogadores nos Mambas, para além do seu médico chefe, seguido pela União Desportiva de Songo, com cinco jogadores, Ferroviário de Maputo, com quatro, Black Bulls, com dois e, Ferroviário da Beira, com apenas um jogador.

DÚVIDAS NOS “ESTRANGEIROS”

Entretanto, mais jogadores que actuam fora de portas poderão não representar o combinado nacional nesta dupla empreitada diante do Ruanda e Cabo Verde. Depois das confirmações do Bordéus e Marítimo que não dispensam seus jogadores Mexer e Zainadine, o Zira do Azerbaijão, também confirmou que não dispensa Clésio Baúque, uma vez que no regresso teria que ficar mais de dez dias em quarentena, e accionando o novo regulamento da FIFA, confirma a não dispensa do atleta.

Para já fica em suspenso a vinda de outros jogadores que actuam em clubes da Europa, dentre eles Reinildo Mandava, do Lille da França, Reginaldo Faite, do Skhupi da Macedónia, Kamo Kamo, do Vitória do Setúbal, e Amâncio Canhemba, da equipa B do Marítimo, todos eles titulares e determinantes para as suas equipas.

Witi, jogador do Nacional da Madeira, também está em dúvida para estes dois jogos, depois de ter saído lesionado na última jornada da Liga Portuguesa, em que a sua equipa recebeu e perdeu, diante do Marítimo, no derby da Madeira.

MAESTRO, PRIMEIRO “ESTRANGEIRO” A CHEGAR

Entretanto, Abel Joshua, ou simplesmente Maestro, da equipa B do Vitória de Guimarães, é o primeiro jogador estrangeiro a se juntar aos Mambas, após sua chegada ao país na noite da última terça-feira. O médio moçambicano que se notabilizou nos Mambinhas sub-20, integrou esta quarta-feira os trabalhos dos Mambas, que continuam a trabalhar à porta fechada e sem presença da imprensa.

Luís Gonçalves continua a espera da chegada de mais jogadores que actuam fora de portas, que não tem compromissos este final-de-semana, com os seus clubes, e que foram prontamente dispensados pera os trabalhos dos Mambas.

LUÍS MIQUISSONE GALVANIZA-SE PARA OS MAMBAS

O internacional moçambicano, Luís Miquissone, voltou a ter mais uma tarde de sonho na Liga dos Campeões africanos. Depois do golo que deu a vitória a sua equipa diante do Al Ahly do Egipto, há três semanas, Luís Miquissone voltou a evidenciar-se ao serviço do Simba, esta terça-feira, no embate diante do Al Merreick do Sudão, em que fez um golo e uma assistência.

Aos 18 minutos, Miquissone foi mais rápido ao aproveitar uma bola dividida e, com um toque certeiro, fez o primeiro golo da sua equipa frente aos sudaneses.

Os tanzanianos ficaram animados com o golo de Miquissone e ampliaram o marcador aos 38 minutos por Moahemed Hussein, a fazer o 2-0 com que se foi ao intervalo.

Na segunda parte, Miquissone voltou a se mostrar importante no Simba quando, aos 49 minutos, fez uma preciosa assistência para Chris Mugalu voltar a bater o guarda-redes da turma sudanesa.

Luís Miquissone conta já com dois golos e uma assistência na Liga dos Campeões Africanos e ajudou o Simba a consolidar a liderança do grupo A, agora com 10 pontos, seguido pelo Al-Ahly do Egipto, que goleou o Vita Club, na República Democrática do Congo, por três a zero.

A quinta e sexta jornadas da Liga dos Campeões terão lugar no mês de Abril, com o Simba a receber o Vita Club do Congo, e a deslocar-se a Egipto para fechar diante do Al Ahly.

Assim, Miquissone continua em alta antes de representar os Mambas, próxima semana, em partidas de qualificação ao CAN-2021 dos Camarões, diante do Ruanda, a 24, e Cabo Verde, a 30 de Março corrente.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos