O País – A verdade como notícia

Golfinhos e Barracudas levaram tudo

Foto: O País

Matthew Lawrence e Alicia Mateus são os grandes vencedores da 34ª edição do Torneio Nadador Completo que terminou, domingo, na Piscina Olímpica de Zimpeto.

Não há um sem dois. Diz o ditado e assim determinou. Excepcionais! Matthew Lawrence, segunda vez consecutiva nadador completo e Alicia Mateus deixaram claro que sobre mergulho na água melhor entendem e são os actuais senhores da modalidade no país. Nem os angolanos (Associação de Natação de Luanda) pararam a classe dos dois nadadores. Alicia Mateus, atleta dos Golfinhos, que tinha vencido a Travessia Maputo-KaTembe em 2021, pela segunda vez consecutiva, com o tempo de 29 minutos, 29 segundos e 42 centésimos, foi enorme. Aliás, ouro sobre azul: foi a sua primeira vez como nadadora completa e precisou, para o efeito, de 2.144 pontos

“Faço natação há nove anos e esta é a minha primeira conquista do Nadador Completo”, entusiasma-se Mateus: “Estou muito feliz e espero continuar a trabalhar para mais conquistas”, falou já a projectar os Jogos da Commonwealth.

Matthew Lawrence, nadador do Barracudas, foi simplesmente imperial. Contabilizou 2.923 pontos em toda a competição e justificou como quebrou o recorde nacional de juniores, no escalão dos 100 metros Mariposa, aquando da sua participação no Campeonato Africano de Natação águas abertas, em 2021, em Acra.

“Estou muito feliz por ter participado desta prova a representar o país. Pela primeira vez, tivemos atletas estrangeiros (angolanos) muito fortes, mas os meninos ainda têm muito trabalho”, observou o nadador.

 

DOMINGAS MUNHEMEZE NA SOMBRA DA ALICIA

Domingas Munhanense voltou a ocupar o segundo lugar no Torneio Nadador Completo, réplica da Travessia Maputo KaTembe edição 2019 e, igualmente, em 2021.

Lado a lado, a diferença do habitat e idade. Alicia Mateus, de17 anos, do lado dos Tubarões e Domingas Munhemeze (19) dos Golfinhos. As águas até eram iguais, mas, no fim, os Tubarões foram verdadeiros Tubarões. Na classificação geral, Munhemeze contabilizou 1972 pontos, contra os 2.144 da Alícia. Perdeu Munhemeze, mas deu ao César o que é do César: “foi uma prova muito difícil. Nós as duas fomos até ao fim, mas ela ganhou, felizmente”, rendeu-se.

Numa prova em que houve participação de seis equipas – Barracudas, Tubarões, Golfinhos, Ferroviário de Maputo, Clube Natação de Zimpeto e Associação de Natação de Luanda –, o passado vingou, recorreu-se ao tempo para galardoar os 10 melhores nadadores completos de sempre.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos