O País – A verdade como notícia

Goleadores estiveram de folga!

Mérito das defensivas, ou demérito dos atacantes? Tudo aponta para a segunda hipótese, se tivermos em conta que apesar da sofisticação dos esquemas defensivos nos grandes campeonatos, não são poucas as jornadas em que em apenas 1 ou 2 jogos se chega à cifra desta ronda do Moçambola ZAP.
Surpresas? Três! A vitória tangencial de um Textáfrica em clara ascensão e a fugir da lista dos condenados à descida; o triunfo do Chingale face ao poderoso Ferroviário de Nacala e o empate alcançado pelos manachuabos do 1.o de Maio, em pleno Estádio da Machava diante de um descaracterizado Ferroviário da capital. Quando faltam três rondas para o final da prova, estes são resultados que adiam decisões, embora comecem a ficar claras as candidaturas aos três níveis de ambições: o título, a manutenção e a não descida.
 

Costa do sol em Nacala: empate é para rir, ou chorar?
Grande curiosidade rodeava a partida entre o campeão em título contra o remotivado Chibuto de Semedo, que aguentou a pressão do Chiveve e saiu com um precioso ponto, colocando mais pressão no adversário. Claro que da deslocação do Costa do Sol a Nacala onde lhe esperava o Desportivo, tudo poderia acontecer, menos facilidades. Parar o vento que sopra do Norte, sem ser uma missão impossível, era extremamente complicada. Regressar com um ponto, é para rir, ou chorar?
Niassa, apesar da sanção de jogo à porta fechada, provou que não é um terreno para brincadeiras e que a UP ainda continua apostada em lutar até ao fim pela não desqualificação. Que o diga a ENH de João Chissano, em claro ascendente, mas que não conseguiu mais do que um nulo. Também com um empate, mas a um golo, se ficaram a Liga de Akil Marcelino e os locomotivas de Salvado. Um duelo táctico interessante, à partida, mas que não resultou em superioridade para qualquer um dos reputados técnicos, pelo menos no que ao “placard” respeita.

Duelos no centro da tabela
A jornada que se segue, pode começar a ditar as “condenações”, sobretudo para o Macuácua, “parente” e vizinho do Chibuto, mas do qual se estiver à espera de um presente, poderá ser… envenenado. Um alto grau de perigosidade para o Costa do Sol que não poderá ceder pontos na viagem ao Niassa, sob pena de começar a perder o comboio do título, caso Chiquinho Conde, em casa, vença o Desportivo de Nacala.
Uma jornada que promete animar, pois as turmas do meio da tabela, separadas por poucos pontos, terão oportunidade de dar precisos passos no caminho da tranquilidade no que toca à perda de sono quanto à descida. Neste lote está o Ferroviário da Beira, que vai a Nacala defrontar o seu homónimo de Nacala. Chingale em Quelimane e o irregular Ferroviário de Maputo no campo da Liga são partidas de desfecho imprevisível, até porque estamos a falar de turmas não muito regulares.
De uma forma geral, o Moçambola ZAP precisa de mais acção e isso só se obtém com mais imprevisibilidade, menos calculismo e lateralizações.
O público pede mais golos, mais emoção. Nós assinamos, sem receio, por baixo.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos