O País – A verdade como notícia

Gilberto Mendes alerta: “As leis devem ser respeitadas”

O debate em torno das equipas que devem disputar o Moçambola 2020/2021, inicialmente previsto para iniciar a 5 de Dezembro, continua na ordem do dia.

Depois da Federação Moçambicana de Futebol, através do seu Gabinete de Licenciamento de Clubes, ter anunciado que somente 11 dos 14 clubes que desportivamente deviam disputar o campeonato nacional, devido a exclusão do Desportivo Maputo, Incomáti de Xinavane e Textáfrica do Chimoio, por não terem reunido as exigências do pro-licenciamento, a Liga Moçambicana de Futebol apareceu a dizer que está a projectar o Moçambola com os 14 clubes, dai que tenha feito uma reunião com todos os clubes para tratar de assuntos inerentes à prova.

A Liga Moçambicana de Futebol alega não ter recebido nenhum ofício da Federação Moçambicana de Futebol a informar da exclusão dos três clubes, até porque só a Assembleia Geral do órgão reitor do futebol moçambicano é que aprova as equipas que devem disputar a prova máxima do futebol nacional, reunião magna que terá lugar a 21 de Novembro corrente.

Só depois dessa Assembleia Geral da FMF é que a Liga Moçambicana de Futebol vai se reunir, também em reunião magna, para definir os critérios de disputa do Moçambola 2020/2021, bem como realizar o sorteio, em função do número de equipas que será aprovado no encontro das Associações Provinciais e a direcção executiva do órgão que gere o futebol no país.

Quem reagiu a esta situação toda é o Secretário de Estado do Desporto, Carlos Gilberto Mendes, que diz que as instituições e clubes devem estar regularizadas por forma a tomarem parte de uma competição previamente rodeada de regras. “Neste momento a regra e que só participa no Moçambola quem tem documentação em dia. Este é o apelo que a gente vem fazendo durante esse tempo todo e continuamos a fazer. As instituições devem se regularizar”, disse Gilberto Mendes.

Ademais, segundo Gilberto Mendes, as leis devem devem ser respeitadas por forma que o desporto, em particular o futebol, possa ter clareza na sua gestão. “Não podemos pensar que, por uma questão de paixão, mesmo não estando regularizados os clubes serão admitidos a prova. Tem de haver responsabilidade por parte dos gestores desses clubes para reunirem condições para serem admitidos como instituições credíveis. As leis devem ser respeitadas”, avisou o Secretário de Estado do Desporto, para depois acrescentar que “continuamos a espera do posicionamento final da Federação Moçambicana de Futebol e da Liga Moçambicana de Futebol. O que for decisão final teremos de respeitar, como Secretaria do Estado do Desporto”.

Para já, a Liga Moçambicana de Futebol prepara o Moçambola para iniciar a 05 de Dezembro, sendo que o sorteio só irá se realizar caso a Assembleia Geral da Federação Moçambicana de Futebol aprove apenas 11 clubes no Moçambola 2020/2021. Caso sejam os 14 clubes, que desportivamente asseguraram o direito de disputar a prova, a serem aprovados, o sorteio vai servir o realizado em Março último.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos