O País – A verdade como notícia

Gaza já tem 1º aeroporto convencional e Nyusi clarifica que “não é resultado de uma dívida”

Foto: GPR

Um momento histórico para a Província de Gaza. É a primeira vez que aquele ponto do país conta com um aeroporto construído de raiz, sendo que era a única província que não tinha um empreendimento daquela natureza. Na cerimónia, o Chefe de Estado, Filipe Nyusi, clarificou que o empreendimento não é resultante de uma dívida, mas de uma doação do Governo chinês num valor de mais de 60 milhões de dólares.

O Presidente da República chegou ao novo aeroporto, por volta das 10h00, desta de hoje e foi recebido pelo Secretário de Estado daquela província, governador, administrador, edil, membros do governo central e provincial e pelo secretário-geral da Frelimo. Em seguida visitou uma exposição onde estavam perfiladas as potencialidades da província de Gaza.

Seguiu-se o descerramento da lápide e corte de fita, actos que marcaram a inauguração formal da infraestrutura.

Filipe Nyusi entrou e visitou as instalações e interagiu com os funcionários, tendo, depois, assistido ao baptismo da primeira aeronave que transportava os primeiros passageiros para o aeroporto.

 

“É A REALIZAÇÃO DE UM SONHO”

Coube à Margarida Mapandzene, governadora da província, fazer as honras, tendo destacado que se tratava de um momento marcante para a população daquela província. “É mais do que a realização de um sonho. Esse empreendimento aumenta o tamanho da montra das potencialidades da nossa província de Gaza. Esse empreendimento poderá ajudar na dinamização do turismo, da agricultura e poderá aumentar o investimento estrangeiro e nacional”, referiu a dirigente.

 

NYUSI ESCLARECE QUE ” ESTE AEROPORTO NÃO É RESULTADO DE DÍVIDAS”

 

Chamado a intervir, Filipe Nyusi destacou que o empreendimento é resultado de trabalho árduo.

“É com sentimento de realização que fazemos esta inauguração. É um momento histórico para o país e para a população de Gaza, em particular”, introduziu, tendo avançado que o empreendimento não é resultado de dívidas “porque sobre dívidas iremos falar num outro momento. Este é resultado de um donativo de mais de 60 milhões dólares efectuado pelo Governo chinês.”

O Presidente da República destacou que a pandemia da COVID-19 condicionou os trabalhos de construção da infraestrutura, pois provocou restrições na mobilidade dos técnicos estrangeiros e de equipamentos.

“O aeroporto abre numa altura em que o mundo se reergue dos efeitos da COVID-19. Isso significa que o Governo conseguiu se readaptar aos efeitos da pandemia. Mas estamos felizes porque essas barreiras foram ultrapassadas e hoje estamos aqui para testemunhar a inauguração deste empreendimento. Trata-se de um aeroporto espaçoso, com alta tecnologia. Tem 3.400 metros quadrados, espaço suficiente para expansão da pista, se a demanda exigir. É uma boa alternativa para a aterragem de aviões que, por alguma razão, tenham dificuldades de aterrar em Maputo.”

Filipe Nyusi defendeu ainda que o empreendimento irá dinamizar a economia daquela região. “Os transportes têm grande importância para o desenvolvimento económico, contribuem para a boa governação e são elementos de inclusão. Este empreendimento irá ajudar a melhorar os índices de produção agrícola e os níveis de arrecadação de receitas provenientes do turismo. Vai impulsionar o movimento de pessoas e bens. O turismo em Gaza é um dos maiores beneficiários deste empreendimento ora inaugurado.

 

NÃO QUEREMOS QUE SE TRANSFORME EM “ELEFANTE BRANCO”

Noutro desenvolvimento, Nyusi disse que quer acções concretas que propiciem que aquela infraestrutura não se transforme num encargo para o Governo, mas uma fonte de rendimento.

“Recomendamos aos gestores deste aeroporto acções de promoção das potencialidades da província para que possamos convidar mais turistas. Não devem pensar que apenas o turismo é que vai suportar a sustentabilidade deste aeroporto, mas potenciem outras áreas como as areias pesadas e produtos agrícolas. Não queremos que este empreendimento se transforme num elefante branco. Esperamos que haja o surgimento de hotéis, cidadelas e empresas de transporte para satisfazer as necessidades dos utentes”.

No final, aconselhou as pessoas a preservarem as infraestruturas, para sua maior durabilidade. Mais do que isso, Nyusi exigiu às autoridades locais para que controlem os espaços adjacentes de modo a que não surjam construções desordenadas.

 

CHINA REITERA APOIO A MOÇAMBIQUE

Em representação do Governo chinês, Wang Hejum, embaixador daquele país em Moçambique, defendeu que a parceria entre os dois países é inabalável.

“Xai-Xai” era a única capital provincial sem aeroporto, o que causou restrições severas nos vários aspectos do desenvolvimento da província, tais como turismo, comércio dos produtos agrícolas e minerais, na prevenção e protecção contra desastres e no intercâmbio entre os povos. O Aeroporto de Xai-Xai constitui mais um projecto de modelo de cooperação pragmática na área de infraestruturas entre China e Moçambique, sendo um presente valioso ao Governo e povo moçambicano, pelo Governo e povo chinês”, terminou.

O aeroporto ora inaugurado tem capacidade de receber aviões até 70 lugares, sendo que se a demanda exigir, os gestores estão disponíveis para aumentar a pista. Além de voos domésticos, o empreendimento irá receber voos regionais.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos