O País – A verdade como notícia

Funasse Zuca é a vencedora do Concurso Literário FLIK 2021

Diário de um ser positivo é o texto de Funasse Zuca distinguido no Concurso Literário FLIK 2021. A história da aluna da 12ª classe destacou-se entre 40 textos submetidos ao prémio.

 

A grande vencedora do Concurso Literário FLIK 2021 nasceu a 29 de Junho de 2004, em Maputo. Portanto, dentro de uma semana vai completar 17 anos de idade. Neste momento, frequenta a 12ª classe na Escola Comunitária Margarida Naseu, na capital do país. Funasse Zuca começou a escrever há três anos, de forma desinteressada. Até ganhar o concurso, apenas almejava ser Engenheira Informática, quando fosse crescida. No entanto, a notícia divulgada pela Associação Kulemba activou-lhe ainda mais o gosto. Agora, além de engenharia, os seus sonhos também passam pela ficção.

Indo mais ao que interessa, Funasse Zuca destacou-se no Concurso Literário FLIK 2021 com o texto Diário de um ser positivo. A ficção retrata a história de uma mulher que, ao descobrir o seu estado seropositivo, vê-se dividida entre contar a verdade ao marido, sujeitando-se a perder o seu lar, e omitir a sua condição, criando assim um mal maior. De acordo com o júri, presidido pelo escritor Mia Couto, a narrativa de Funasse Zuca é bem estruturada, aliando uma escrita intimista e crítica à condição da mulher e a um apelo à verdade, à coragem e à solidariedade.

Diário de um ser positivo, de Funasse Zuca, destacou-se entre 40 textos submetidos ao concurso organizado pela Associação Kulemba. “Não tenho palavras. Não esperava que fosse ficar em primeiro lugar”, afirmou Funasse Zuca, esta quarta-feira, na Cidade de Maputo. E não ficou por aí. A pequena escritora ainda contou como tudo começou: “A inspiração de escrever esta história é um pouco engraçada. Inspirei-me numa publicidade televisiva. Um dia desses vi uma publicidade sobre o HIV/SIDA e aí surgiu-me a vontade de escrever uma história. Os dias foram passando sem que eu escrevesse. Quando tomei conhecimento do concurso literário, sim, resolvi escrever a história”.

Funasse Zuca conta ainda que não foi fácil escrever o seu Diário de um ser positivo, pois teve dificuldades na composição de diálogos das personagens. Para ultrapassar esse obstáculo, com efeito, teve de investigar sobre como escrever diálogos. “Fui lendo alguns livros para perceber isso. Depois, pesquisei na internet”. Feito isso, a história fluiu, até porque, assume a menina sem falsas humildades: “Não tenho dias para escrever, tenho uma imaginação muito fértil”. Logo, num só dia, o texto ficou pronto e a pequena escritora submeteu ao concurso.

Agora, o que falta é gerir a ansiedade. Funasse Zuca não vê a hora em que irá poder ler o seu Diário de um ser positivo em livro. Afinal, a organização do concurso vai editar uma antologia com os 15 melhores textos do concurso, sob a chancela da editora Fundza. Enquanto isso não acontece, Funasse vai estudando, lendo e escrevendo, de modo que, quando for crescida, talvez, tenha a dimensão dos seus escritores moçambicanos favoritos: Paulina Chiziane e Mia Couto.

 

Outros classificados

Nesta edição do Concurso Literário FLIK 2021, os membros do júri também decidiram reconhecer mais dois textos: Sonho ou pesadelo, de Cynthia Garcia, e Rapaz ambulante, de Micaela Sandoca, segundo e terceiro classificados, respectivamente.

Ora, a primeira classificada, Funasse Zuca, vai receber um kit de livros e uma viagem, com direito a acompanhante, ao Parque Nacional da Gorongosa. A segunda e a terceira classificada vão receber kits de livros.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos