O País – A verdade como notícia

COVID-19: nova variante circula na França

Chama-se “IHU” e tem 46 mutações. Acredita-se que a estirpe esteja na origem da escalada de casos do novo Coronavírus na França, embora seja considerada “mais fraca” em relação à Ómicron, que também circula com intensidade.

O ano começou com votos de esperança para o fim da pandemia e ninguém queria que os apelos fossem respondidos pela chegada de uma nova variante.

Chama-se “IHU” e foi descoberta por cientistas do Instituto Méditerranée Infection, de Marselha. Apesar da descoberta ter sido em França, os estudiosos dizem que a estirpe tem origem em África, concretamente nos Camarões.

Os primeiros casos da nova variante, que tem a designação técnica B.1.640.2, foram detectados na localidade de Forcalquier e em Marselha. Desde a descoberta, foram confirmadas 12 infecções. Os casos são alegadamente de viajantes que saíram dos Camarões para a França e os seus contactos.

A espécie tem 46 mutações, incluindo uma que está associada a um possível aumento de contágios. Entretanto, é considerada mais fraca do que a Ómicron.

Ainda pouco se sabe sobre a IHU, mas os estudos indicam que deriva de uma outra, a B.1.640, detectada em finais de Setembro de 2021 na República do Congo e actualmente sob vigilância da Organização Mundial da Saúde.

O IHU de Marselha, foi descoberto pelo polémico médico Didier Raoult, que recebeu uma advertência da Ordem dos Médicos francesa por ter violado o código de ética, ao promover o uso do antimalárico hidroxicloroquina como tratamento para a COVID-19 sem provas da sua eficácia.

No 4 de Janeiro, data em que foi anunciada a nova variante, a França registou 264.184 casos e 342 óbitos. Os Camarões ainda não confirmaram casos da nova variante “IHU”.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos