O País – A verdade como notícia

FNB inicia programa de adaptação da rede de distribuição à nova estratégia

O First National Bank (FNB) já iniciou com a reestruturação da sua rede de distribuição, encerrando os balcões do Zimpeto, Xipamanine e Inhambane e avançando com o programa de desenvolvimento de novos pontos de presença.     

Com esta medida, o FNB prossegue com o seu programa de reposicionamento e transformação com vista a tornar-se num banco de referência no mercado moçambicano em termos de eficiência, excelência de serviço e rentabilidade e num parceiro cada vez mais relevante para os seus clientes.

Paulo Pereira, administrador-delegado adjunto do FNB Moçambique explicou que a instituição está a fazer uma “viragem na sua estratégia e lógica de abordagem ao mercado”, o que implica a necessidade de adaptação da sua rede de distribuição.

O encerramento dos referidos balcões faz parte desta estratégia, bem como a abertura de novos pontos de presença em geografias estratégicas para o banco, onde ainda não se encontra presente.
Anotou que os clientes dos balcões encerrados, já foram comunicados sobre a mudança que irá transformar e personalizar os serviços nos balcões para onde foram transferidos, nomeadamente o balcão Av. de Angola, no caso dos clientes do Zimpeto e Xipamanine, e para o balcão da Maxixe, no caso dos clientes do balcão de Inhambane.

“Como parte do plano de transformação, o FNB Moçambique está também a executar uma reestruturação da sua rede de distribuição, investindo na presença em geografias estratégicas para o banco, onde ainda não se encontra presente, e retirando-se de alguns pontos onde já possui outras representações próximas que possam também servir adequadamente os respectivos clientes”, considerou Paulo Pereira.

Frisando, que o FNB irá mudar o seu paradigma de eficiência, transformando-se numa operação de alta eficiência, produzindo resultados positivos sustentados. “A eficiência será atingida através da automação e simplificação de processos, redimensionamento da estrutura para uma escala adequada e reposicionamento e optimização da rede de distribuição para a tornar relevante na nova estratégia. Iremos obter ganhos significativos de produtividade por via da digitalização, eficiência de vendas e racionalização dos balcões e back-office. Iremos também acrescentar novos pontos de presença no país alinhados com esta estratégia.”

O ambicioso plano de transformação e reposicionamento no mercado, que será implementado pelo banco ao longo dos próximos anos, envolve um alinhamento de toda a sua estrutura, sistemas, processos críticos e rede de distribuição e um forte investimento na capacitação dos colaboradores para se tornar num parceiro de referência para os clientes dos segmentos Corporate e Comercial e suas respectivas cadeias de valor, nomeadamente os clientes, fornecedores e colaboradores.

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos