O País – A verdade como notícia

FMF volta a promover curso de treinadores de nível A seis anos depois

Fotos: FMF

A última vez que a Federação Moçambicana de Futebol realizou um curso de Nível A foi em 2016 e foi suspenso pela Confederação Africana de Futebol por não cumprir com alguns requisitos exigidos pelo organismo que gere o futebol africano. Neste momento Moçambique é um dos quatro que pode realizar este curso de nível A.

É o retorno da realização dos cursos de treinadores do nível mais alto do país, ou seja, o nível A, depois de seis anos de interrupção devido a questões de incumprimento de requisitos por parte da Federação Moçambicana de Futebol.

E o regresso, há muito esperado, não podia ser de outra forma. São ao todo 25 participantes oriundos de diversos pontos do país e do estrangeiro que se inscreveram para tomarem parte deste curso, que é o primeiro do nível “A” da Nova Convenção de Treinadores da CAF.

O presente curso, que será ministrado pelo instrutor da FIFA, Abdul Abdulá, compreende quatro módulos, com as componentes teórica e prática, incluindo ainda estágios em clubes domésticos.

Assim, os 25 treinadores provenientes de todas as províncias do país recebem novas ferramentas para enriquecer a sua actuação profissional como treinadores de futebol de equipas de primeira linha, razão pela qual alguns dos técnicos que estão a ser formados são de equipas do principal campeonato nacional de futebol.

A abertura oficial do curso aconteceu na passada segunda-feira e foi dirigida pelo Presidente da Direcção Executiva da Federação Moçambicana de Futebol, Feizal Sidat, acompanhado pelo Director Técnico, Arnaldo Salvado, e contou com participação especial do seleccionador nacional de futebol, Chiquinho Conde, que na ocasião transmitiu energias positivas aos cursantes.

Feizal Sidat disse que com a realização dos cursos de Níveis “A” e “B” da Nova Convenção de Treinadores da CAF, no nosso país, aumentam os índices de confiança, junto dos principais actores do futebol, nomeadamente, os jogadores, esperando-se que a médio e longo prazos o nosso futebol melhore de qualidade.

“Referiu ainda que este é o início de uma nova etapa de formação que o país vai conhecer, havendo na mesa outros dois cursos, ambos do Nível “B”, na Beira, em Junho e em Nampula, em Julho. Enquanto Inhambane vai acolher o curso do Nível “C”, ainda este mês”, disse o dirigente máximo do órgão reitor do nosso futebol.

Já o Director Técnico da FMF, Arnaldo Salvado, recomendou os cursantes a aproveitarem ao máximo esta acção formativa para dar um novo ímpeto ao futebol, como forma de elevar a modalidade ao nível mais alto, e permitir que clubes moçambicanos possam chegar mais longe nas competições africanas de clubes.

Até porque, para fazer parte deste curso de treinadores de nível A são esperados em Maputo o consultor regional da Confederação Africana de Futebol, o sul-africano Serame Lets Eja, bem como dois instrutores da CAF.

Para o seleccionador nacional, Chiquinho Conde, esta é uma grande oportunidade para os treinadores moçambicanos elevarem os seus conhecimentos profissionais e atingirem patamares internacionais da sua carreira. “Eu também passei por esta aprendizagem e é importante quando queremos atingir outros patamares por isso aproveitem”, disse o seleccionador nacional.

Refira-se que desde 2016 que o país não realizava cursos de treinadores de nível A, sendo actualmente um dos 4 em África que pode fazê-lo após o cumprimento dos requisitos da Confederação Africana de Futebol (CAF) e, consequentemente, a adesão à respectiva convenção.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos