O País – A verdade como notícia

FMF rebate e diz que Luís Gonçalves não prestou favor ao aceitar acordo

Feizal Sidat disse que é falsa a ideia propalada de que Luís Gonçalves perdoou a dívida que a instituição que dirige tinha com os técnicos. Sidat esclareceu ainda que pagou através de fundos da Federação Moçambicana de Futebol (FMF) 60 porcento do valor que colocava as partes em litígio. O presidente da FMF falava, esta quinta-feira, durante uma conferência de imprensa, que visava fazer o balanço trimestral das suas actividades.

É a primeira vez que Feizal Sidat reage às polémicas palavras de Luís Gonçalves que chegou a chamar a direcção da Federação Moçambicana de Futebol de arrogante e mentirosa. O Presidente da FMF rebate dizendo que o que aconteceu nas negociações não foi um acto de caridade do técnico luso-moçambicano e seu adjunto.

“Pagamos 60 por cento do valor que nós devíamos, ainda se fosse 50 por cento, 50 por cento, mas não houve, o que não pode ser assumido como um perdão por parte do mister Luís Goncalves. Não, não perdoaram a dívida da Federação, não. Nós todos sabemos o que é perdão de uma dívida. É não pagar nada, não é? Então, minhas senhoras e meus senhores, não houve perdão da dívida nenhuma”, rebateu Feizal Sidat.

Porque permanece o diferendo com Nelinho que também exige indemnização pela forma como foi tirado do cargo de treinador da selecção Sub-17, Sidat garante resolução do problema para breve.

“Estamos a trabalhar, vamos mostrar em momento oportuno e havemos de resolver. Este é um grande amigo meu, foi atleta quando eu era dirigente, e é uma pessoa que merece todo o nosso carinho e consideração”, considerou.

O dirigente aproveitou a ocasião para esclarecer que os valores pagos aos dois técnicos são fundos provenientes da Federação Moçambicana de Futebol.

 

Moçambique escolhido para lançamento do Pan-Africano de Futebol Escolar

Na mesma ocasião, Feizal Sidat fez saber que Maputo vai acolher, em Abril próximo, o lançamento da primeira edição do Campeonato Pan-Africano de Futebol Escolar da Confederação Africana de Futebol (CAF), prova que visa despontar talentos. Os vencedores nacionais, em masculinos e femininos, irão representar o país na fase continental, prevista para Novembro deste ano.

É, de resto, tido como um dos melhores investimentos para o futuro e sucesso do futebol africano. O Campeonato Pan-africano de futebol escolar vai arrancar este ano, e Maputo é o local escolhido pela CAF para o lançamento do projecto.

“Neste momento vamos trabalhar com 32 escolas, com equipas masculinas e femininas, da província e cidade de Maputo, porque o tempo já e escasso é até Junho devemos dar os campeões nacionais escolares masculinos e femininos, que vão seguir para a fase seguinte para competir com outros campeões das restantes regiões de África, depois segue-se para a fase final ou continental, com representantes de cada região”, detalhou Sidat.

Na competição em que vão participar escolas públicas e privadas nos escalões de Sub-16, em ambos os sexos, os vencedores não só vão representar o país, como também terão direito a prémios monetários.

“Terão direito a acima de meio milhão de dólares, valores bastante aliciantes. Serão prémios para a escola, atenção, não para a Federação Moçambicana de Futebol”, disse.

Neste ano, a fase nacional do campeonato terá apenas escolas de Maputo e será disputado entre os dias 23 de Abril e 30 de Julho, no Estádio Nacional do Zimpeto. A Federação Moçambicana de Futebol esclarece, no entanto, que nas próximas edições serão abrangidas escolas de mais províncias do país.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos