O País – A verdade como notícia

Filipe Nyusi discute situação da COVID-19 com a Comissão Técnico-Científica

O Presidente da República, Filipe Nyusi, reuniu com a Comissão Técnico-científica, esta quinta-feira, para discutir a situação da pandemia do novo Coronavírus no país. No encontro, alargado a outros sectores do Governo, o Chefe de Estado manifestou preocupação devido ao incumprimento das medidas de prevenção da COVID-19, sobretudo na cidade e província de Maputo.

Ao iniciar a reunião, o Chefe de Estado deu permissão ao ministro da Saúde, Armindo Tiago, para apresentar a situação epidemiológica do mundo, do continente africano, da região da SADC e de Moçambique.

Durante a sua intervenção, o ministro da Saúde disse que a África regista uma estabilização progressiva da pandemia do novo Coronavírus, sendo que desde Agosto o continente apresenta um número abaixo da metade dos casos notificados anteriormente, em termos de infecções, bem como o de óbitos.

No que diz respeito a Moçambique, Armindo Tiago referiu que o país está na quarta posição na SADC com uma taxa de positividade de 5,1% e é, actualmente, o que tem o menos número de óbitos na região, com 39, e mais de 6.100 infecções, desde Março.

Entretanto, entre Julho e Agosto, houve registo de alteração progressiva de casos da COVID-19 em termos de óbitos e infecções, uma tendência que se mantém no presente mês de Setembro.

As cidades de Maputo, Pemba e Nampula, com uma taxa de positividade de 10,7%, 5% e 3,9%, respectivamente, são as que experimentaram uma transmissão comunitária.

Contudo, o inquérito sero-epidemiológico realizado na capital do país aponta que se passou do nível de alerta para o de acção, facto que vai obrigar um possível escalonamento dos horários públicos e privados, com o objectivo de reduzir a pressão sobre os serviços públicos, com particular ênfase para a área dos transportes.

Em conclusão, Armindo Tiago disse que há no país uma tendência generalizada de incumprimento das medidas de prevenção da COVID-19, caracterizada pelo não uso de máscaras, o não distanciamento social e o desrespeito do limite de participação em eventos públicos e privados.

No fim do encontro, coube à ministra da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Helena Kida, fazer a síntese do que se discutiu à porta fechada.

A ministra disse que o Executivo decidiu manter todas as medidas de prevenção e combate ao novo Coronavírus.

Neste contexto, haverá intensificação na fiscalização do cumprimento dessas medidas e penalização daqueles que as violarem.

À imprensa Helena Kida disse que com o desconfinamento, o aumento das infecções diárias era previsível, mas que continua a ser importante a manutenção das medidas de prevenção do novo Coronavírus.

Outra constatação foi a violação das medidas de prevenção da COVID-19, que segundo o Governo, ocorrem nas zonas urbanas e é perpetrada maioritariamente por jovens com certo nível de instrução académica.

Em relação as infracções, o Governo reitera a aplicação de medidas sancionatórias contra os prevaricadores, que variam de multas até, em última instância, à privação de liberdade.

A reunião da auscultação da Comissão Técnico-Científica da COVID-19 poderá determinar as futuras decisões do Governo em relação ao alívio ou endurecimento das medidas de restrição.

Contudo, apesar da cidade de Maputo ter ultrapassado o nível de alerta, ainda não foi tomada nenhuma decisão sobre um possível cerco sanitário na capital moçambicana.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos