O País – A verdade como notícia

Filipe Nyusi desafia oficiais graduados da Polícia a combaterem terrorismo

Combater todo o tipo de crime, particularmente o terrorismo, foi a tónica do discurso do Presidente da República, Filipe Nyusi, na última sexta-feira, na Escola de Sargentos da Polícia Tenente General Oswaldo Tazama (ESAPOL), localizada no distrito de Nhamatanda, província de Sofala, durante a cerimónia de graduação de cerca de 700 oficiais da Polícia.

“Temos dito sempre que o sargento é a espinha dorsal da corporação policial. Vocês têm a missão de estruturar, organizar e impor a disciplina no seio dos guardas da Polícia. Vocês devem consolidar a superação combativa e estão treinados para manter a moral alta dos vossos comandados imbuídos de espírito de patriotismo e conhecedores da sua missão na sua cadeia de comando. Por serem uma categoria intermédia entre o oficial e o guarda, é vossa tarefa garantir a comunicação permanente efectiva e profissional entre os níveis táticos operacionais e estratégicos, permitindo que a polícia de combate à criminalidade encontre, por via de planos traçados, a plena implementação. Parabéns! De vós esperamos uma postura firme, proactiva presente, eficaz eficiente e tecnicamente competente”, afirmou o Presidente da República que é o Comandante-Chefe das Forças de Defesa e Segurança.

Dos graduados, 209 são sargentos principais do terceiro curso e 468 são do primeiro curso de comandante de pelotões, estes últimos no âmbito de combate ao terrorismo, recrutados dentre os efectivos das Forças Especiais de Reserva e com tempo mínimo de serviço de dois anos.

A formação dos sargentos da polícia compreendeu um programa multidisciplinar, assente em quatro áreas científicas, ciências e tecnologias policiais, ciências jurídicas, ciências sociais humanas e gestão área de ciências exactas, bem como na redução de acidentes de viação.

Para os comandantes de pelotões, a sua formação integrou maioritariamente práticas nas diversas cadeiras leccionadas, nomeadamente táctica geral, comando táctico, reconhecimento táctico e operativo, armamento, tiro e preparação física.

“Vós sois a nossa esperança no combate ao terrorismo em Cabo Delgado. A vossa entrada no campo prático não deve apenas acrescentar números nos efectivos. Deve, acima de tudo, agregar ciência, valores humanos e universais e impulsionar iniciativas que assegurem a unidade nacional, a paz e a concórdia entre os moçambicanos. Não quero comandantes corruptos, preguiçosos ou que comandam deserções. É imperativo que o comandante de pelotão conheça bem os seus homens e as suas armas e a melhor forma de aplicá-los no campo de batalha”.

O Presidente da República anunciou, na ocasião, que os comandantes vão, imediatamente, receber os seus pelotões. “Procurem conhecer um a um dos vossos homens. Nós estamos a infringir grandes golpes ao inimigo em Cabo Delgado e vocês têm a missão de consolidar estas conquistas, para manter a tranquilidade naquelas zonas, por isso um bom relacionamento diário com a população é fundamental. Não basta libertar espaços. A lei e ordem estão sob vossa responsabilidade. Esta é a vossa missão principal”.

A cerimónia, que coincidiu com a passagem do 5º aniversário da ESAPOL, sob o lema “ESAPOL, celebrando o quinto aniversário num contexto de Calamidade Pública, aprimorando estratégias de formação de sargentos da polícia em ciências polícias, face aos desafios de ordem, segurança e tranquilidade públicas e combate ao terrorismo”.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos