O País – A verdade como notícia

Ferroviário de Maputo com reforços para atacar Liga Africana de Basquetebol

O Ferroviário de Maputo irá reforçar-se com três atletas estrangeiros e dois nacionais, tendo em vista a sua participação, em Dezembro próximo, em Kigali, no Ruanda, na Liga Africana de Basquetebol (BAL). Alvaro Manso e Helton Ubisse são os nomes conhecidos que se devem juntar ao grupo de trabalho próxima semana.

Condicionado pela pandemia da COVID-19, o Ferroviário de Maputo luta contra o tempo para recuperar os sete meses em que os jogadores ficaram inactivos e representar condignamente Moçambique na edição de estreia da Liga Africana de Basquetebol, prova organizada conjuntamente pela FIBA e NBA.

Para atacar esta competição, a realizar-se em Kigali, no Ruanda, os campeões nacionais irão contar com o espanhol Álvaro Manso e mais dois atletas estrangeiros que, em princípio, deverão chegar na próxima semana ao país.

Mas os reforços não ficam por aqui, até porque a prova é bastante exigente. Dois atletas de grande qualidade da selecção nacional de basquetebol sénior masculino, que actuam fora, irão juntar à equipa de Milagre “Mila” Macome.

Os nomes dos referidos reforços devem ser anunciados próxima semana quando os mesmos desembarcarem em Maputo, mas “O País” sabe que um deles é Helton Ubisse, jogador do Ferroviário da Beira que em Dezembro reforçou os bicampeões nacionais nas eliminatórias disputadas em Kigali, no Ruanda.

“Alvaro Manso vai chegar nos próximos dias. Nós queremos que haja um entrosamento com os restantes colegas que estão a treinar desde 15 de Setembro”, explicou o presidente do Ferroviário de Maputo, Teodemiro Ângelo, na conferência de imprensa de apresentação dos treinadores das equipas de basquetebol.

Mesmo sem avançar os nomes dos reforços, o dirigente acrescentou que “a participação masculina é de todo patrocinada pela BAL. Temos a dizer que o patrocínio não chega. Não conseguimos satisfazer tudo aquilo que são as exigências da equipa técnica em termos de atletas. Até lá, a direcção do clube continuará a procurar dar o seu melhor à equipa técnica”, assegurou.

Para já, não há previsão de um estágio pré-competitivo fora do país. Tal pode estar condicionado com o facto da selecção nacional de basquetebol ter compromissos, em Novembro, nas eliminatórias de acesso ao “Afrobasket” 2021 e maior parte dos jogadores serem dos “locomotivas”.

Seja como for, há neste momento uma articulação entre a direcção do clube e o departamento de basquetebol para que a equipa tenha mais volume de trabalho.

Os campeões nacionais retomaram aos treinos de campo no passado dia 15 de Setembro, no pavilhão do Desportivo Maputo, e a palavra de ordem foi mesmo a recuperação física e psicológica dos atletas. Com as sessões, Milagre “Mila” Macome pretende que a equipa ganhe a condição física e acelere para ganhar ritmo com o objectivo de arrancar uma boa prestação no certame.

A inédita qualificação do Ferroviário de Maputo para BAL não só prestigiou desporto moçambicano, no geral, e a modalidade da bola ao cesto, em particular. A presença na elite 12 permitiu aos campeões nacionais um encaixe financeiro de 4.3 milhões de meticais.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos