O País – A verdade como notícia

Ferroviário da Beira joga cartada difícil em Argel

É um jogo que está a gerar enormes expectativas em Moçambique. Há um sonho, como Nação, de se fazer história nesta competição e melhorar o ranking de clubes na CAF.

Ferroviário da Beira defronta, amanhã, às 19h30, no Stade Stade 5 Julliet, o USMA da Argélia em jogo da segunda mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões Africanos em futebol.

É um jogo que se afigura bastante difícil para os campeões nacionais, porquanto irão jogar diante de um adversário que quer, desde cedo, pressionar os campeões nacionais na perspectiva de ainda cedo resolver a eliminatória.

Aliás, antes e depois do jogo da primeira mão, Otto Pfister, técnico alemão ao serviço do USMA, reclamou do estado do relvado do “caldeirão” do Chiveve, situação que, segundo o mesmo, dificultava a acção dos seus jogadores e do futebol que a sua equipa pratica.

É neste sentido que já no sábado, no seu reduto, o campeão da Argélia irá assumir as despesas do jogo, contando, neste caso, com o apoio do seu público. Mas o Ferroviário da Beira quer fazer história. Quer contrariar os argelinos que apostam na transição para as meias-finais da competição. De resto, mesmo com a viagem desgastante, o conjunto orientado por Rogério Gonçalves parte para este jogo motivado. Vai, certamente, a espaços, procurar surpreender o seu adversário que pode abrir algumas brechas para os campeões nacionais explorarem transições em contra-ataques. Os “locomotivas” do Chiveve desembarcaram no final da tarde de ontem em Argel, na Argélia, sendo que hoje efectuam o treino de adaptação ao Stade Stade 5 Julliet. Este jogo será dirigido por Bakary Papa Gassama (Gâmbia), que terá como auxiliares Jean-Claude Birumushahu (Burundi) e Marwa Range (Quénia).

Confiança no grupo de trabalho

Confiança é que reina no seio dos jogadores do Ferroviário da Beira.

Maninho e Mambuco eram, antes da partida para Argel, os rostos do optimismo no seio dos campeões nacionais. “Sabemos que vai ser um jogo bastante difícil. Teremos muito mais adversidades, porque eles estarão a jogar em seu próprio meio e muito mais motivados, mas estamos preparados”, disse o capitão, momentos antes da equipa seguir a Argel. Por sua vez, Mambucho, jogador que falhou o jogo da primeira mão, frisou que, caso os campeões nacionais se apresentem coesos, poderão ultrapassar o USMA da Argélia. “Para tal teremos um jogo bastante difícil e nós temos que sair daqui mais preparados. Em casa deles, sabemos que eles vão fazer de tudo para passarem a eliminatória, mas nós temos que ir lá fortes e convictos que podemos alcançar um bom resultado”, notou o regressado.

Campeões em título em vantagem

O Mamelodi Sundowns, campeão em título, parte para o jogo com o Wydad Casablanca do Marrocos com uma vantagem mínima de um a zero. No Lucas Masterpieces Moripe Stadium, a 17 de Setembro, o costa-marfinense Krahire Zakri marcou o golo que dá vantagem aos sul-africanos na eliminatória. Em desvantagem, o Wydad Casablanca do Marrocos tem a obrigação de fazer melhor para que vire a eliminatória e siga para as meias-finais. O jogo da segunda mão está previsto para amanhã, às 20h00. Ainda no sábado, o Espérance de Tunis (Tunísia) recebe o Al-Ahly (Egipto) com o fito de capitalizar o factor casa para seguir em frente na competição. No embate da primeira mão, registou-se um empate a duas bolas.

Domingo, conclui-se a disputa dos quartos-de-final, neste caso jogos da segunda mão com o Étoile do Sahel a medir forças com o Al-Ahly Tripoli da Líbia. A 17 de Setembro, no Tripoli Stadium, as duas equipas empataram sem abertura de contagem.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos