O País – A verdade como notícia

Féling Capela participa no SLAMeroun em Yaondé

Performer e gestor cultural, Féling Capela, participa, este sábado, na terceira edição do Festival Internacional de SLAMeroun, que se realiza de forma presencial e online na capital camaronesa.

Durante três dias, Yaondé, capital de Camarões, é palco do terceiro Festival Internacional de SLAMeroun. Para a edição deste ano, que iniciou quinta-feira e que termina amanhã, a organização do evento convidou Féling Capela a participar.

A sessão do performer e gestor cultural está marcada para este sábado, numa sessão que pode ser acompanhada através das redes sociais do festival. Assim será porque Capela decidiu não viajar para Camarões neste momento de muita incerteza devido à pandemia da COVID-19.

No Festival Internacional de SLAMeroun, Féling Capela vai participar em painéis de conversas e ainda vai apresentar performances. Mas porquê ele como convidado de Moçambique? Capela explicou: “Uma das motivações dos organizadores para me convidarem ao evento é o facto de eles terem o meu background e saberem que coordeno o maior e o mais duradouro sarau de poesia e música acústica de Moçambique, o Noites de Poesia, que acontece há sensivelmente 17 anos”.

Esta será a primeira vez que Féling Capela participa no SLAMeroun, embora conheça o produtor com quem participou em outros festivais.

Há mais de cinco anos que Capela é embaixador do Slam para Moçambique. Ainda assim, estar no evento via online é simplesmente magnífico.

“O SLAMeroun pode ser visto em qualquer parte do mundo, de forma virtual, e, por isso, vou mostrar que os moçambicanos merecem estar nessa cidade global e exprimirem tudo o que lhes apetece, mostrando o que somos e as nossas lutas. Poder estar em todo o mundo, ser visto através das redes é fantástico e estou muito feliz por isso”.

Simultaneamente, Féling Capela espera criar novas bases, oportunidades e erguer a bandeira do seu país, com apresentações em português e inglês. “O evento é importante para mim, porque prova que as nossas lutas começam a surtir efeito. Estamos no mundo e o nosso trabalho começa a ter visibilidade. Espero contribuir para o bom nome do meu país”.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos