O País – A verdade como notícia

Família Mondlane deixa mensagem alusivo às comemorações de 3 de Fevereiro (Ano Eduardo Mondlane)

Presidente    Filipe    Nyusi,    Excelência.
Dedico em nome da Família Mondlane uma mensagem a todos os Moçambicanos que é de uma casa    eterna que tem o nome de todos nós. Eu, e as minhas irmãs crescemos numa    casa  em  que se escutavam histórias e memórias com afecto.    

Entre todas as conversas durante a nossa infância, havia uma palavra, que se repetia todos os dias. Essa    palavra era Moçambique.

Esse Moçambique não era apenas um assunto de conversa na nossa casa. Era uma vivência e um modo de    crescer, um modo de sermos do tamanho dos nossos sonhos. Aquilo que parecia ser  uma simples palavra     acabou  sendo um ideal, um compromisso e um destino. Com tempo essa palavra Moçambique tornou-se    numa casa que ganhou a dimensão de uma nação inteira. Essa casa foi sendo habitada por milhões que foram nascendo, amaram e sonharam, e isso aconteceu, desde 1975, por gerações. Mas essa casa continua     a ser a mesma, com o mesmo mapa, com as mesmas convicções, a mesma crença e com o mesmo vigor.    Essa casa está viva e está viva porque tem raízes seguras e profundas. Uma dessas raízes foi muito presente     na nossa infância e falava de Moçambique, como a grande pátria que haveria de nascer.    

Essa raiz profunda chama-se Eduardo Chivambo Mondlane. O umbigo do Eduardo caiu na palhota da sua  mãe Muzamusse Mbembele, na aldeia de Nwadjahane. Foi ela que desafiou o jovem Eduardo a ir  para a    escola e descobrir o feitiço do ‘branco’.  Foi a Muzamusse que abriu os olhos do seu filho para conhecer o   mundo, libertar mentes e transformar a terra.    

Essa grande pátria do Doutor Eduardo Mondlane haveria de nos unir a todos apesar das diversas cores da     pele, etnias, idiomas e crenças.    

O  Dr. Mondlane não chegou a ver essa nação com que ele tanto sonhou. Mas os que o mataram, não fizeram     bem as contas. Mataram o homem, e fizeram crescer o seu ideal. Esse homem deixou de ser apenas um homem. Tornou-se símbolo, tornou-se uma bandeira.  Essa  bandeira, está hasteada em  todos os recantos    da    nossa    nação.    

Tantas vezes quiseram dividir a grande família moçambicana, esta família que somos todos nós. Tantas vezes quiseram destruir esta casa, que é  a casa de todos nós.  De todas as vezes o nome do nosso pai surgiu como uma força, uma âncora e um pilar. De todas as vezes a figura de Eduardo Mondlane ajudou a unir,    ajudou a juntar, ajudou a  conciliar.

Alguém já disse que a dimensão de um dirigente não se mede apenas pelo aplauso de  quem lhe escuta.     Mede-se pelo respeito que esse dirigente conquistou, mesmo entre os seus adversários. No caso do nosso    pai esse respeito é motivo de profundo orgulho. Por isso, a nossa família celebra hoje aquilo que todos os   moçambicanos celebram.    

Como tão moçambicanamente se diz, nesta festa estamos juntos e estamos todos juntos sem diferença num    momento em  que em todo o mundo há quem queira sublinhar  a  diferença e fazer dessa diferença um ponto    de partida para a violência.     

Essa violência que não queremos que aconteça mais na  nossa terra! Juntos celebramos não apenas um homem simples, digno e humilde, mas também um homem que cuidou da sua família com um braço,e com    o outro braço impulsionou uma luta pela liberdade. Celebramos um homem que pertence à  todos os    moçambicanos.  Um homem que é Moçambique inteiro. Um  homem que se tornou na sua própria nação    porque a quis servir. Amou tanto a sua pátria que até entregou a sua vida.    

Uma coisa que nos alegra, a sua família mais próxima, é que celebramos esta data com verdade. Com a mesma verdade buscamos a raiz de um caminho que nos fez ser Moçambicanos. Poderíamos dizer ao nosso    pai    se    ele    ainda    estivesse    com    vida que   temos     a     certeza     de     que     no  futuro,     em     casa  dos moçambicanos se vai repetir aquilo que aconteceu na nossa infância, onde se escutou com amor    e esperança, um mesmo nome  que é Moçambique. O nome Moçambique trará a  mesma saudade e o mesmo    orgulho de um homem chamado Eduardo Mondlane.    

Senhor Presidente, aproveitamos este momento para expressar  o  nosso reconhecimento  pelo seu firme    empenho na busca da Paz e consolidação da Unidade Nacional. A família Mondlane agradece a oportunidade que nos deu para transmitir esta mensagem, particularmente neste local onde repousa o nosso Pai.
Bem haja, Excelência!

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos