O País – A verdade como notícia

Exploração de gás: país pode destacar-se na redução de emissões de carbono a zero

O fomento do uso de gás pode colocar o país na rota de redução significativa do carbono na natureza. Quem o disse é Maxime Rabilloud, representante da Total Energies Moçambique, que falava na aula inaugural do ano académico da Universidade Pedagógica de Maputo (UP Maputo).

Falando sobre o tema “Gás no caminho para carbono zero”, Rabilloud disse que os desastres naturais que abalam o país, de forma cíclica, mostram que Moçambique é vulnerável aos impactos das mudanças climáticas. As causas são, em parte, os combustíveis fósseis que contribuem para o aumento das temperaturas.

É nesse contexto que Maxime Rabilloud refere que a exploração do gás no país deve ser capitalizada para o consumo interno, pois acredita que tal pode reduzir o uso dos combustíveis fósseis, principais emissores do carbono na atmosfera.

Cerca de 80 por cento da energia que o mundo produz e consome é responsável pela emissão de grandes quantidades de carbono. Rabilloud diz, por isso, que é hora do mundo apostar na transição energética e evitar que o pior aconteça.

A nossa fonte falou dos processos de exploração de gás e petróleo no país e o seu impacto no ambiente, sublinhando que é preciso que esse trabalho acomode os princípios de preservação do ambiente, pois os impactos serão mais visíveis no futuro que no presente.

Jorge Ferrão, Reitor da Universidade Pedagógica de Maputo, disse que a instituição de ensino que dirige privilegia a temática de descarbonização, energias e mudanças climáticas. Ferrão afirmou que é fundamental envolver a Total Energies nos debates desta natureza, uma vez que é a empresa petrolífera responsável pela exploração do gás natural da bacia do Rovuma, na província de Cabo Delgado.

A Universidade Pedagógica de Maputo, à semelhança de muitas instituições de ensino superior, foi duramente afectada pelos impactos da pandemia da COVID-19. O encerramento das aulas presenciais fez com que a universidade se reinventasse e apostasse no modelo de aulas virtuais, facto que pressupôs uma transformação profunda no processo de ensino e aprendizagem.

Fundada em 1985, a Universidade Pedagógica (UP), na altura Instituto Superior Pedagógico (ISP) é vocacionada à formação de professores, quadros de educação e áreas afins de nível superior.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos